A evolução da instalação das proteções dependerá das condições climáticas nos próximos dias. O concreto, ao ser moldado, deteriora-se em tempo chuvoso. Foto: Muriel Albonico/Esga-Dnit/Notisul
A evolução da instalação das proteções dependerá das condições climáticas nos próximos dias. O concreto, ao ser moldado, deteriora-se em tempo chuvoso. Foto: Muriel Albonico/Esga-Dnit/Notisul

Tubarão

A chamadas “new jersey”, as barreiras de divisão de sentido do tráfego na BR-101, voltaram a ser instaladas no trecho do lote 26, entre Tubarão e Sangão, onde as pistas da rodovia estão 100% duplicadas desde o ano passado. O trabalho segue no ponto próximo ao viaduto de acesso sul à Cidade Azul (do Ceconvest).

Na semana passada, os trabalhadores demarcam o local e posicionaram o equipamento para moldar o concreto. Para isso, a faixa de rolagem da esquerda (sentido sul) foi isolada. A manobra é necessária para que o equipamento construa a barreira com precisão.

Os serviços seguirão em direção ao sul, até o encontro com as barreiras já construídas no lote 27. As ‘new jersey’ já estão prontas nos lotes 24, 28 e 30. No 27, restam três pequenos locais para ligar toda a construção.
Nesses quatro lotes estão instaladas, também, as defensas metálicas em cabeceiras de viadutos, passarelas e pontes, bem como em vias laterais e bordos de pistas, para garantir segurança dos motoristas da rodovia.

As barreiras têm 80 centímetros de altura, até 40 centímetros de base, e podem ser construídos até 500 metros por dia. O concreto é moldado por um equipamento mecânico que dá forma à barreira. Paralelamente, outros funcionários fazem os acabamentos estéticos no muro. O tempo máximo para secagem do concreto é inferior a 20 horas.