Tubarão

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe acaba nesta sexta-feira (31) em todo território nacional. Desde o dia 10 do mês passado, início da campanha, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) organizou diversas ações em busca de atingir o público-alvo. Agora, na reta final, o último balanço divulgado de Tubarão, mostra que a cobertura vacinal está muito próxima da meta estabelecida, com 89,35% da população prioritária atingida.

 Dos 37.561 a se vacinarem dos grupos prioritários, 32.811 já tomaram a vacina, faltando mil pessoas para a cidade atingir os 90% definido pelo ministério. De acordo com a enfermeira da FMS Shaiane Salvador, os números são acima da média de Santa Catarina. “Estamos dentro do estimado e acreditamos que até o dia 31, nós alcançaremos a meta para todos os grupos”, destacou.

O índice no Estado alcançou cerca de 70%, somando mais de 500 mil catarinenses que não tomaram a dose. O Ministério da Saúde, em nota nesta quarta-feira, anunciou a distribuição da vacina para toda a população geral, a partir da próxima segunda-feira.

 A vacina da gripe é de extrema importância para as pessoas intituladas como “grupos de risco”, já que são mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias, com o vírus no organismo. Os grupos definidos pelo MS foram: gestantes, puérperas, crianças de até seis anos incompletos, idosos, pacientes com doenças crônicas, professores, indígenas, funcionários do sistema prisional, trabalhadores da saúde, população privada de liberdade e profissionais de forças armadas.

 
Números em Tubarão
 
• Gestantes: 89,55%
• Crianças: 77,65%
• Puérperas: 128,48%
• Idosos: 98%
• Trabalhadores da saúde: 93,08%
• População privada de liberdade: 94%
• Funcionários sistema prisional: 71%
• Professores: 94%
• Profissionais de forças armadas: 437 doses aplicadas (não possui população estimada).
• Pacientes com doenças crônicas: 70,80%.

 Vacina contra a gripe será liberada para toda população catarinense a partir de segunda

A Campanha de Vacinação contra a gripe exclusiva para os grupos prioritários acaba nesta sexta feira (31). A partir de segunda-feira (3), todo a população catarinense poderá procurar as unidades de saúde, nos municípios que ainda possuem doses disponíveis, para tomar a vacina contra a doença. A medida segue orientação do Ministério da Saúde (MS). No entanto, a imunização será feita a partir das doses que sobraram da Campanha, ou seja, sem nova remessa aos Estados.

Em Santa Catarina, a cobertura vacinal entre os grupos prioritários está em 77,71%. A meta estabelecida pela Ministério de Saúde é de vacinar, pelo menos, 90% dessa população formada por: gestantes, mães até 45 dias após o parto, crianças entre seis meses a menores de seis anos, idosos com mais de 60 anos, indígenas, professores da rede pública e privada, trabalhadores de saúde, pessoas com comorbidades, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e profissionais das forças de segurança e salvamento.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), pois os representantes têm mais chances de ter complicações e até morrer em decorrência da gripe. Lia Quaresma Coimbra, gerente de imunização da Dive/SC, vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde, ressalta a importância de alcançar a meta de 90% entre o público-alvo: “Os casos de gripe, na maior parte das vezes, são leves e se resolvem sem sequelas, mas nos grupos prioritários o caso pode complicar, gerar outras doenças e até mesmo levar à morte. Isso nos preocupa”.
Gripe em Santa Catarina

Segundo o último boletim divulgado pela DIVE/SC, até o dia 24 de maio de 2019, foram confirmados 66 casos de influenza em Santa Catarina: 53 pelo vírus A (H1N1), 11 pelo vírus A (H3N2), um aguardando subtipagem, e um pelo vírus Influenza B.

Os municípios que apresentaram casos confirmados foram: Blumenau e Chapecó com dez casos cada; Florianópolis com sete; Joinville com seis casos;  Brusque, Itajaí e Jaraguá do Sul, com três casos cada; Balneário Camboriú, São José e Tubarão, com dois cada; Armazém, Biguaçu, Braço do Norte, Camboriú, Criciúma, Flor do Sertão, Itaiópolis, Jacinto Machado, Lages, Maravilha, Navegantes, Palhoça, Penha, Pomerode, São Francisco do Sul, São João Batista, Tunápolis, com um caso cada; e um caso de paciente residente em São Paulo, mas que foi atendido em Santa Catarina.

No mesmo período, foram confirmadas cinco mortes, todas pelo vírus influenza A (H1N1). Os cinco apresentaram algum fator de risco para o agravamento da doença. Um homem, de 52 anos, morador de Tubarão (portador de diabetes mellitus); uma mulher, de 79 anos, moradora de Blumenau (portadora de diabetes mellitus e doença neurológica crônica); uma mulher, de 48 anos, moradora de Jaraguá do Sul (portadora de diabetes mellitus e pressão alta); um homem, de 54 anos, morador de Brusque (tinha pressão alta e era fumante); uma mulher, 67 anos, morador de São Francisco do Sul (paciente tinha diabetes mellitus e doença renal crônica).

Cuidados e prevenção

Além da vacina, é recomendado adotar algumas medidas de prevenção para evitar a gripe: higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar; higienização depois de usar o banheiro; antes das refeições; antes e depois de tocar os olhos, a boca e o nariz; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (corrimão, bancos, maçanetas etc), além de manter hábitos de alimentação saudáveis, com ingestão de líquidos e realização de atividades físicas.

Pessoas com influenza devem evitar contato com outras. Em caso de suspeita, o paciente deve procurar atendimento médico o mais rápido possível. O tratamento precoce com Oseltamivir (Tamiflu) reduz tanto os sintomas quanto a ocorrência de complicações da influenza e está disponível em todas as unidades de saúde e hospitais de Santa Catarina.