Karen Novochadlo
Jaguaruna


A indústria catarinense passou a consumir 6,3% de energia. O percentual é o correspondente até novembro do ano passado. Os números de 2010 deverão ser divulgados somente neste mês pela Celesc. De qualquer forma, os dados já revelam o crescimento promissor no estado em 2011. No país, a projeção é ainda mais desafiadora: a estimativa é que o consumo de energia seja 9% ao observado em 2010.


Na região, Sangão e Imbituba receberão investimentos na transmissão de energia este ano. Isto porque ambas têm  perspectivas de crescimento industrial acima da média este ano. Atualmente, somente o parque industrial de Sangão, por exemplo, consome 2 mil Mega Volts Amper (MVA).


Para atender a expansão da indústria, a Celesc planeja ampliar a subestação. Uma nova linha de transmissão de Tubarão para Sangão será construída. A obra é orçada em R$ 3 milhões.


Já na Cidade Azul, o investimento em 2011 deverá ser no setor de distribuição. Isto porque no ano passado a capacidade da subestação do município foi ampliada. Antes, os transformadores possuíam capacidade de 52 MVA, mas a cidade consumia 56 MVA nos horários de pico.


Hoje, a subestação possui 72 MVA. O investimento garante sobra de capacidade para, pelo menos, os próximos quatro anos, afirma o chefe da agência regional da Celesc em Tubarão, Gerson da Silva Bittencourt. Ele revela ainda que a estatal planeja, para o próximo ano, construir uma subestação em Garopaba.

 

Diferencial
Ao contrário do observado em outras cidades, o pico de consumo em Tubarão ocorre entre 14 e 16 horas. O motivo está na característica comercial da cidade. Geralmente, o pico é entre 18  horas e 19h30min.


O investimento em distribuição na região, em 2010, foi superior a 2,6 milhões.
Mais de 500 postes e 113 transformadores foram instalados pela Celesc.

 

Cobrança da Cosip será diferente este ano
Desde maio do ano passado, a iluminação pública de Tubarão é de responsabilidade da prefeitura. A administração é feita pelo departamento gestor da taxa de Custeio dos Serviços de Iluminação Pública (Cosip). O serviço é prestado por uma empresa terceirizada, a Botega, e paga com os recursos da própria Cosip. No ano passado, uma das principais ações no setor foi o investimento pesado na iluminação de praças, pontes e avenidas.


Para este ano a novidade é que haverá mudança na forma que é realizada a cobrança do consumo residencial. Hoje, a taxa de iluminação pública cobrada é proporcional ao consumo residencial. Nas próximas semanas a cobrança será feita em conformidade com a iluminação existente nos bairros. “Assim, cada cidadão pagará pelo que é iluminado, o que é mais justo”, compara a administradora da Cosip, Reneuza Marinho Borba.


Serviço
Qualquer solicitação em relação a iluminação pública em Tubarão deve ser feita pelo telefone 0800-643-59-59. A ligação é gratuita.