O representante comercial Sandro Borges, de Tubarão, dá o exemplo:
O representante comercial Sandro Borges, de Tubarão, dá o exemplo: "Uso protetor solar fator 30 todos os dias. Prevenir é sempre o melhor", ensina.

Zahyra Mattar
Tubarão

O céu nublado, ontem, escondia um inimigo perigoso: a radiação solar. Mesmo com as nuvens, o Índice Ultravioleta (IUV) na região chegou a 11, um valor considerado extremo. Os dados são da Epagri/Ciram. Até domingo, este número estará elevado, o que inspira ainda mais cuidado.

"Claro que, com as nuvens, a incidência no ser humano é menor. Porém, não significa que não seja prejudicial. O correto é passar protetor solar. Na verdade, este é um hábito que deve ser cultivado sempre, mesmo quando o IUV está na categoria mais baixa", ensina o meteorologista Clóvis Corrêa.

Conforme os dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), atualmente, no Brasil, o câncer de pele é o tipo mais frequente entre a população. Corresponde a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no país. Daí a atenção redobrada em situação como a vivenciada nos próximos dias, quando os raios solares indicarão com maior proporção.

Na região, conforme a medição feita pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/Inpe), o IUV ficará na faixa de 10.
O valor é considerado muito alto. "Mesmo com o céu encoberto, a quantidade de raios que chegam a nós é considerável. O correto é que todos busquem proteger-se e evitem, se possível, ficar expostos ao sol, especialmente nos horários próximos ao meio-dia", reforça Clóvis.