Aliada ao combate do novo coronavírus, a solidariedade se tornou uma das principais armas contra a pandemia. Muitos grupos, instituições e voluntários têm se mobilizado para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Em todo o país, a doação de alimentos, de produtos de higiene pessoal e até mesmo consultas gratuitas são algumas das ações solidárias que ocorrem. Muitos grupos e instituições se unem para enfrentar e também superar a crise financeira e a pandemia.

No último dia 28, o Portal Notisul trouxe a história da Colombiana Diana Bonilla Mena, que veio morar no Brasil no ano passado, casou, encontrou um emprego, porém por causa da pandemia foi demitida. Ela e o esposo moram de aluguel em Pescaria Brava e não tinham condições financeiras para comprar móveis, cobertores e alimentos.

Para Diana, ser imigrante durante a pandemia apresentou uma série de dificuldades, entre elas a falta da rede de suporte que o país de origem pode dar. Mesmo com as dificuldades, ela ressalta que, junto com o esposo, tenta construir algo no país para contribuir com o que tem recebido. “Somos parte de um momento histórico mundial. Vamos tentar enfrentar e dar o melhor de nós para que nossa família fique bem e no futuro consigamos entregar algo para este país”, pontua.

Com ajuda da comunidade e da Cáritas, ligados à Confederação Nacional de Bispos do Brasil (CNBB), Diana e o marido alcançaram inúmeras doações de alimentos e móveis como refrigerador, mesa e cadeiras, balcões e sofá, por exemplo, para a mobília da casa que tinha apenas um fogão. A caritas tem sido responsável pelo acompanhamento dos venezuelanos no país, de acordo com os representantes da igreja católica, a doação para as famílias é de fundamental importância para manter a estabilidade e condição de vida para qualquer pessoa seja ela brasileira ou não.

O vice-coordenador da Cáritas, da Diocese de Tubarão, Murilo Medeiros conta que teve conhecimento da situação de Diana por meio do Portal Notisul. “Entramos em contato com ela, fomos ao encontro e vimos as suas necessidades. Trabalhamos muito com os imigrantes sobretudo os venezuelanos. Foi a primeira vez que chegou ao nosso conhecimento uma pessoa de nacionalidade colombiana na nossa região”, expõe Murilo.

Ele conta que em um primeiro momento conseguiram cestas básicas e cobertores e posteriormente, junto com a comunidade conseguiram os móveis e eletrodomésticos. “Perguntamos aos vizinhos da Diana se eles sabiam da realidade e começamos um trabaho para conseguir as doações do que faltava. Com a ajuda de muitas pessoas conseguimos vários itens”, assegura.

Entre em nosso grupo do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul