Imbituba

Os 180 anos da batalha naval ocorrida na região onde hoje está a Praia do Porto, em Imbituba, que marcou o batismo de fogo da heroína Anita Garibaldi, foram homenageados com a inauguração de um monumento nesta segunda-feira. A obra é parte das comemorações do bicentenário da lagunense e integra o projeto Dois Mundos e uma Rosa para Anita, e foi entregue ao público hoje às 9h.

O monumento, que tem a assinatura do escultor Jean Cristiano Rodrigues, de Palhoça, foi erguido na orla da praia, em parceria da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) e Diretoria de Cultura, da prefeitura de Imbituba. A solenidade contou com a participação das Guardiãs de Anita, de Laguna.

“Todo o material desta obra vem do reaproveitamento de outras obras da Seinfra. É a sustentabilidade que precisamos quando lidamos com recursos públicos. Uma obra cultural com custo zero na secretaria”, comenta o secretário Gilberto Pereira, ao Portal AHora.

Paraná recebe hoje palestra sobre Anita

Mesmo sem relações históricas com Anita, o Estado do Paraná estará integrado às comemorações dos 200 anos da heroína. A Associação Giuseppe Garibaldi manifestou interesse em promover no solo paranaense ações para marcar a data.

O início destas ações será uma palestra nesta segunda, no Palácio Garibaldi, às 19h, em Curitiba. “Se trata de uma consequência do grande trabalho que o CulturAnita e as Guardiãs vêm fazendo em todo o Sul do Brasil e também na Itália. O fato de o Paraná, espontaneamente, querer participar dos eventos em 2021, demonstra claramente que o instituto está atingindo seus objetivos de divulgar e promover os feitos da nossa heroína”, comemora o diretor do CulturAnita, Adilcio Cadorin, responsável pela palestra.

Projeto une quatro países

A iniciativa Dois Mundos e Uma Rosa Para Anita em seu bicentenário é capitaneada pelo museu e biblioteca Renzi, da Itália, em parceria com o Instituto Cultural Anita Garibaldi, em Laguna.

O projeto une Brasil, Itália, República de San Marino e Uruguai nas comemorações. As quatro nações têm relações com a história da heroína que nasceu em Laguna, em 1821, e morreu em Mandríole, em 1849.