A foto de uma longa fila de homens de mãos dadas com meninas (aparentemente entre três e dez anos) tem sido compartilhada nas redes sociais com legendas que afirmam se tratar de um casamento coletivo de crianças no Irã. No entanto, apesar de a imagem realmente mostrar uma cerimônia de matrimônio, as garotas não estão se casando, apenas acompanhando os noivos, que normalmente são tios ou primos delas. Além disso, a cerimônia não ocorreu no Irã e sim em Gaza.

A informação foi apurada em 2009 pelo site de fact-checking americano Snopes, que descobriu que as imagens começaram a ser compartilhadas depois de uma cerimônia organizada pelo Hamas, movimento palestino com forte presença na Faixa de Gaza, em julho de 2009. Naquele ano, o mesmo boato se espalhou por corrente de e-mail, mas atribuindo a prática do casamento com crianças ao Hamas.

Segundo o Snopes, na época também foram encontrados vídeos de algumas garotas falando que participavam de casamentos de integrantes de suas famílias. A checagem também cita Ahmed Jarbour, um dos responsáveis pela cerimônia coletiva, que explicou vestir crianças como noivas é uma tradição local. Em diversas reportagens que cobriram casamentos coletivos palestinos, as crianças são vistas como parte da cerimônia.

Não existem dados recentes disponíveis sobre casamento de crianças no Irã. Um relatório de 2016 da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado pela ONG Girls Not Brides, informa que a legislação iraniana permite o casamento de meninas a partir de 8 anos e 9 meses se houver autorização dos pais. Dados de 2010 do Fundo Internacional das Nações Unidas para a Infância (Unicef) apontam que 3% das meninas se casavam até os 15 anos; 17% se casavam até os 18 anos.

No Brasil, as imagens surgiram com associações ao Irã desde a última segunda-feira, 6, em meio ao crescimento do conflito entre EUA e Irã.