A Terra é o lar de inúmeras ilhas desabitadas. Algumas delas recebem tal característica por questões geográficas desfavoráveis, enquanto outras são mantidas intocadas devido às difíceis condições ambientais. No entanto, algumas ilhas são mantidas ermas e livres de seres humanos por motivos assustadores.

Um exemplo disso é a chamada Ilha Gruinard, localizada em um pequeno pedaço de terra a aproximadamente um quilômetro da costa nordeste da Escócia. Basicamente, ela é um lugar que a humanidade evitou por muitos anos e embora pareça serena e bela, já serviu para um propósito terrível.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o exército britânico começou a temer um possível ataque químico vindo de forças inimigas. Então, por esse motivo, por volta de 1942 começaram a testar suas próprias armas químicas como uma forma de defesa, e o fizeram na Ilha de Gruinard.

Para realizar os testes, os cientistas levaram ao local cerca de 90 ovinos, que seriam expostos ao Vollum 14578, uma estirpe extremamente perigosa e contagiosa de antraz. Em questão de dias, as ovelhas começaram a morrer em razão da exposição. Os pesquisadores concluíram que um possível ataque feito com a arma em questão poderia não só apenas dizimar populações inteiras como também tornaria cidades inabitáveis por décadas.

 

Então, uma vez que a guerra chegou ao fim em 1945, o antigo dono da ilha reivindicou por direito sua propriedade que outrora estava em posse do governo. No entanto, o solo estava tão contaminado que o governo decidiu que era impossível devolvê-la no momento, a menos que fosse limpa e declarada segura para a presença humana e animal.

 

No entanto, o processo para descontaminação era muito caro e perigoso, portanto, a ilha teve que ser colocada em quarentena, e o seu acesso foi impedido por décadas. Em 1981, um grupo de microbiologistas secretamente embarcou em um navio para dar início a uma operação chamada Dark Harvest, que envolveu o roubo de aproximadamente 140 quilos de solo infectado. Eles ameaçaram o governo de espalhar a terra em instalações estratégicas se o problema de contaminação não fosse resolvido.

Então, em 24 de abril de 1990, após quatro anos de esforços e 48 anos depois de ter sido colocada em quarentena, a Ilha de Gruinard foi novamente declarada segura para a presença humana. No entanto, algumas pessoas ainda não estão completamente convencidas de que a ameaça de antraz se foi, por isso seguem evitando o local.