Amanda Menger
Tubarão

Mais de 50 produtores rurais da Amurel reuniram-se ontem em audiência pública sobre o Programa de Identificação de Bovinos e Bubalinos de Santa Catarina (PIB-SC), na câmara de vereadores de Tubarão. Os pecuaristas encaminharam ao legislativo um requerimento com as reivindicações do grupo.

“Queremos apoio dos vereadores. Pedimos a ampliação do prazo (previsto para o próximo dia 30), além de um tratamento diferenciado aos pequenos produtores”, enfatiza o pecuarista Valtamir Luiz Rodrigues. O presidente da câmara de Gravatal e produtor rural, Hamilton Firmino, garante que o grupo não é contra a brincagem. “Somos contra a forma como o processo é feito, com pouco prazo e informação”, argumenta.

O deputado estadual Joares Ponticelli (PP) também participou da audiência. “Entendo que é irreversível a identificação dos animais, porém, o prazo deve ser repensado, assim como outras questões como a criação de um fundo para ajudar os pequenos proprietários”, argumenta.

O diretor de qualidade e defesa agropecuária da secretaria estadual de agricultura, Roni Barbosa, rebateu as críticas. “Temos que manter o status sanitário de livre de febre aftosa sem vacinação e, por isso, é preciso identificar os animais. Os pequenos produtores terão diversos benefícios também”, relata.

Roni adiantou que, no próximo dia 20, será feita uma avaliação da brincagem. “O secretário de agricultura, Antônio Ceron, fará um balanço e poderá anunciar a ampliação do prazo. Contudo, os produtores que não tiverem brincado os animais não poderão movimentá-los para outras cidades ou abatedouro se não tiverem a identificação”, alerta.