Karen Novochadlo
Laguna
 
A incineração de lixo hospitalar em Laguna, realizada pela empresa Louber, está suspensa, desde de ontem, por determinação judicial. Contudo, alguns hospitais da região não foram comunicados sobre a deliberação.
 
O Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão, produz por mês aproximadamente 230 quilos de lixo hospitalar. O material é coletado pela Louber. Os descartes dos hospitais de Caridade Senhor Bom Jesus Passos, em Laguna, e Santo Antônio, em Armazém, também são recolhidos pela empresa. 
 
Nos hospitais Santa Teresinha, em Braço do Norte, e de Caridade, em Jaguaruna, a reportagem do Notisul não encontrou os responsáveis para comentar o caso. 
 
O administrador da unidade de Laguna, Carlos Alberto Batista, afirmou que ainda não recebeu nenhum comunicado. As informações repassadas pela Louber a ele seriam de que o lixo é incinerado em uma outra cidade catarinense. 
 
A decisão da justiça é referente a um processo movido pela organização não-governamental (ONG) Instituto Eco & Ação, desde 2007. O motivo seria a falta de uma licença emitida pela Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma). A volta do funcionamento do incinerador dependerá do resultado de uma perícia. Caso seja comprovado que a atividade prejudica os moradores das proximidades, o incinerador será desativado definitivamente. 
 
Entenda o caso
Duas ações – uma cautelar e outra civil pública – foram iniciadas na comarca de Laguna com o objetivo de proibir a incineração. A ação cautelar resultou em uma medida que estabeleceu que todas as atividades da Louber devem ser periciadas. O perito responsável já foi escolhido e recebeu toda a documentação para realizar o trabalho. Agora, é necessário saber se ele decidirá realizar o trabalho. Caso contrário, um outro profissional será escolhido. A ação civil ainda corre na justiça e necessita do resultado da perícia.