Priscila Alano
Tubarão

Sem acordo entre o Sindicato dos Comerciários e o Sindilojas, o comércio de Tubarão abrirá em horário especial na sexta-feira da próxima semana, dia 7, até as 22 horas e no Sábado é o Dia D, até as 17 horas, em função do Dia das Mães. A questão é polêmica. Alguns clientes preferem o horário estendido. Outros não concordam.
O presidente do Sindilojas, José Batista Masiero, salienta que não houve acordo com o sindicato dos comerciários, e o calendário com os horários especiais será semelhante ao de 2009. “Vamos trabalhar de acordo com a lei. Cada lojista fará o revezamento, para que os seus colaboradores façam apenas duas horas extras.

Infelizmente, não chegamos a um consenso com os comerciários”, explica Masiero.
A presidenta do Sindicato dos Comerciários, Elizandra Rodrigues Anselmo, argumenta que a categoria não concorda com o horário definido pelo Sindilojas. Para ela, a ação altera a jornada de trabalho. “Na sexta-feira, por exemplo, quem começa às 9 horas não deve trabalhar até 22 horas. Os funcionários devem entrar em um acordo com os patrões, para não cumprir horas a mais”, orienta.

O sindicato agendará uma reunião com o delegado do Ministério do Trabalho, em Florianópolis, para que seja realizada uma fiscalização mais rigorosa nas empresas. “Recebemos várias denuncias de que há funcionários que cumprem as horas extras, mas não recebem. Os patrões alegam que são comissionados, porém, as horas extras incidem também sobre as comissões”, alerta.

A opinião dos clientes
A costureira Regina Teixeira Saviato não concorda com o horário especial. “Somos seres humanos. Esses horários especiais exigem demais dos funcionários”, afirma. Já a diarista Ednamar da Silva, prefere o tempo estendido para fazer as suas compras.