Tatiana Dornelles
Tubarão

A mãe de primeira viagem Gabrielle Regina de Souza, 28 anos, de Capivari de Baixo, é toda cheia de cuidados com a pequena Angelina de Souza, que nasceu no último dia 17. E não é para menos, afinal, toda mãe quer dar o seu melhor aos ‘rebentos’. Para ela, o momento de dormir da recém-nascida requer atenção redobrada.

“Angelina só dorme no bercinho, pois é muito perigoso dormir ao meu lado. Ocorrem muitos casos de asfixia e os pais precisam estar cientes de que é perigoso. Cuido bastante também da coberta, para que ela não cubra o rosto. O bebê precisa ter o seu espaço, seja no berço ou no carrinho. E não ficar na mesma cama que os pais”, orienta a mãe.

Em apenas seis dias, foram registrados seis casos de asfixia de crianças em Santa Catarina. E, na maioria, os pequenos dormiam entre os pais. Segundo o pediatra Paulo Cruz, de Tubarão, no inverno, é comum alguns pais colocarem os bebês entre eles.

“O intuito é aquecer o filho, mas é perigoso e o bebê pode morrer asfixiado. Como a musculatura torácica da criança é frágil e, entre os pais, pode não ter liberdade de respiração, ficar sem oxigênio e morrer. Quanto menor for o bebê, mais perigoso é, pois ele é mais frágil”, explica o médico.

Claro que o bebê precisa ser aquecido, o que deve ser realizado no próprio berço, com roupas e cobertores. “Além disso, o bercinho deve estar 30 graus inclinado, o travesseiro deve ser fino (não é recomendável o fofo) e a criança deve ser colocada de lado ou de barriga para cima. Para deixar a caminha inclinada, pode ser colocado, entre o colchão e o estrado, um travesseiro”, orienta Paulo Cruz. Os pais devem ainda colocar os lençóis e as mantas até a altura das axilas, com os braços da criança por cima.
Os primeiros meses da criança, ressalta o médico, são os que necessitam de maiores cuidados por parte dos pais.

Casos em Santa Catarina
No último fim de semana, apenas em Santa Catarina, dois bebês morreram por asfixia: um na Penha e outro em Chapecó. Outros casos ocorrem este mês, dois registrados em Itajaí, um em Itapema e outro em Braço do Norte.