Mário Sérgio com a esposa Karla e o filho Maik. Somente Maik ainda não conheceu a possível avó
Mário Sérgio com a esposa Karla e o filho Maik. Somente Maik ainda não conheceu a possível avó

Karen Novochadlo
Laguna

A história de Mário Sérgio Sebastião Estácio, 35 anos, morador de Laguna, poderá ter um final feliz. Conforme o Notisul publicou em novembro, ele estava em busca de sua mãe biológica há meses.  
 
Assim que nasceu, Mário foi adotado por José Apolinário Estácio, 70 anos, e Lori Sebastião Estácio, falecida há dez anos. No ano passado, o garçom descobriu que era adotado e começou a procura pela mãe. Dias depois da reportagem ser publicada no Notisul, uma candidata ligou e comunicou a suspeita. 
 
A massagista Albertina Marciano Inácio, 56 anos, acredita que Mário Sérgio possa ser o seu filho. Ela engravidou quando tinha 16 anos, de um namorado.  A criança nasceu prematura. “Eu sempre tive certeza de que um dia iria encontrar. No dia das mães, eu sempre chorava”, relata Albertina. 
 
O reencontro de mãe e filho foi emocionante. Ela foi para Cabeçudas e conheceu a família de Mário. “Eu bati fotos dele e Mário Sérgio é parecido com o meu namorado da época. Até a risada é igual”, conta. 
 
Alguns detalhes da história são parecidos. José Apolinário lembrou que a mãe biológica era morena de cabelos longos e natural de Imaruí. A mesma descrição de Albertina. 
 
Agora, é necessário fazer um teste de DNA para verificar se eles são mesmo mãe e filho. O valor do exame é alto. Para conseguir realizá-lo gratuitamente, Albertina pretende acionar a justiça.