Um homem de 51 anos morreu ao passar mal durante um exame de endoscopia, na quarta-feira (13/2), em uma clínica particular em Feira de Santana, no interior da Bahia. Edilberto Lopes Batista chegou a ser socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que foi acionada pela própria clínica, mas não resistiu. Após a constatação da morte, o corpo foi levado à casa da família e deixado no sofá da residência.

A família de Edilberto contou à reportagem da TV Subaé que ele faleceu por volta das 11h de quarta-feira (13/2), no Instituto de Doenças do Aparelho Digestivo (Idad). O paciente foi ao local para realizar uma endoscopia, por conta de dores no estômago.

“O Samu deixou o corpo dentro da residência, sem comunicar a ninguém. Largou lá, como se fosse um indigente, como se não existisse familiar. E mandou que a família fosse buscar um atestado de óbito lá no Samu”, relatou Jodailton de Almeida, cunhado de Ediberto, em entrevista à TV.

Os familiares de Edilberto denunciaram o caso à Polícia Civil. Uma equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana esteve na casa para remover o corpo do homem. Ele foi enterrado na tarde de quinta-feira (14/2).  

O caso está sendo investigado pela 2ª Delegacia de Polícia, que aguarda o laudo de necropsia para apurar as causas da morte de Edilberto.  

O IDAD, clínica que realizou o exame, divulgou uma nota afirmando que a endoscopia ocorreu sem nenhum problema e que só depois do procedimento o paciente teve uma parada cardiorrespiratória. A clínica afirmou ainda ter tentado reanimar Edilberto e acionado o Samu, que deu prosseguimento ao atendimento, porém sem sucesso. 

Afastamento

A Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana afastou, nesta sexta-feira (15/2) e equipe do Samu que realizou o atendimento à Edilberto. Em nota, a Secretaria informou que instaurou uma sindicância para apurar o procedimento do atendimento e pediu o afastamento da equipe até que as investigações sejam concluídas.