O desenvolvimento de feridas de pele, principalmente em áreas expostas à pressão, está cada vez mais frequente em pacientes internados pela Covid-19, um desafio para os hospitais, profissionais de saúde, paciente e família devido fatores associados à gravidade dos casos. Para melhorar o atendimento a este público, o Hospital Nossa Senhora da Conceição está reforçando o atendimento no seu Ambulatório de Feridas, que fica localizado no Ambulatório de Especialidades, possibilitando uma assistência de qualidade com atendimento de um enfermeiro especialista em estomaterapia, voltado para o cuidado da integridade da pele, além do suporte multiprofissional.

O tratamento correto destas lesões, além de diminuir o tempo de internação e os custos hospitalares, ajudam na redução das complicações e sequelas ocasionadas pelo seu aparecimento. “Os maiores casos estão em pacientes que evoluem com gravidade e necessitam ser internados em UTIs, pois as vezes permanecem na mesma posição por não tolerarem mudanças de decúbito, devido a piora do quadro clínico ou risco de morte”, explica a enfermeira estomaterapeuta, Renata R de Medeiros Corrêa “Esses longos períodos deitados na mesma posição diminuem a circulação e oxigenação da pele e associado a outros fatores podem levar ao surgimento das feridas”.

De acordo com ela, muitos pacientes, após o tratamento da doença, ainda retornam para casa com feridas graves necessitando de tratamento e acompanhamento prolongados para a cicatrização. “Então no local realizamos a avaliação do paciente e da ferida para indicar as medidas necessárias de cuidado, sejam elas preventivas ou de tratamento, pois além das intervenções realizadas no ambulatório, o paciente precisa de todo cuidado e suporte em casa.

No ambulatório são realizados também os cuidados de feridas pós-operatórias em reabilitação de pessoas que possuem estomias, tratamento de radiodermites (queimaduras de radioterapia), bem como assistência em incontinências, fístulas e drenos; isso sem custo para o paciente.

E agora? Chegou o dia de ir para casa, estou curado da COVID-19, mas tenho uma ferida, o que eu faço?

A enfermeira estomaterapeuta, Renata R de Medeiros Corrêa, deixa dicas de cuidados fundamentais para a cura dessas feridas e prevenção do surgimento de novas lesões de pele, conhecidas como Lesão sobre Pressão.

Utilizar colchões que redistribuem a pressão do corpo na cama, quando o paciente ainda irá permanecer acamado (por exemplo, colchões pneumáticos);

Utilizar dispositivos auxiliares para posicionamento como coxins e travesseiros que auxiliarão no alívio da pressão;

Proteger áreas de maior risco para o desenvolvimento das feridas com curativos indicados pelo enfermeiro especialista;

Olhar a pele diariamente nos pacientes acamados é de extrema importância para identificação precoce de qualquer alteração na pele;

Manter sempre a pele limpa e seca, longos períodos com a fralda molhada, por exemplo, aumentam o risco do surgimento dessas feridas;

Utilizar produtos de limpeza com pH levemente ácido (a avaliação do especialista é fundamental);

Realizar mudanças de posicionamento do paciente de 2-4 horas nos pacientes acamados;
Além disso, a nutrição adequada, controle da glicemia, a ingesta hídrica, reabilitação motora, o tratamento específico das feridas com curativos indicados pelo especialista, são fundamentais para o processo de cura e reabilitação do paciente.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte HNSC