Tubarão

Pacientes de Tubarão e região já podem realizar cirurgias de coluna que, em vez de utilizar bisturis e pinças, aplica a tecnologia endoscópica, com câmeras e instrumentos de proporções reduzidas. Há menos de seis meses, o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) pratica com sucesso esse procedimento minimamente invasivo, que requer apenas anestesia local e o paciente operado recebe alta no dia seguinte, ou até no mesmo dia.

Segundo levantamento do IBGE, cerca de 5,4 milhões de brasileiros sofrem de hérnia de disco, principal condição que leva à necessidade de cirurgia na coluna. Os principais sintomas são dor nas costas, dificuldade para carregar objetos pesados, para praticar atividades físicas e, até mesmo, para trabalhar ou se locomover. Antes mais comum entre pessoas a partir dos 40 anos de idade, esse problema vem se manifestando cada vez mais cedo, e já afeta pacientes na casa dos 30 anos.

Maria de Fátima Viana, de 66 anos, moradora de Laguna, realizou a cirurgia de coluna com endoscopia no HNSC, em fevereiro. Ela sofre há anos de hérnia discal foraminal, e não conseguia ter uma boa qualidade de vida por causa das fortes dores que sente. Para ela, o procedimento com a nova técnica demorou pouco mais de duas horas, e gerou uma incisão lombar de apenas 7 milímetros, quando na cirurgia tradicional o tamanho do corte pode ser de 5 a 25 centímetros. “Antes, eu nem conseguia mais caminhar de tanta dor. Estou otimista para tentar ter uma vida normal daqui em diante”, afirma Maria de Fátima, que voltou para casa após um dia.

 
Vantagens da cirurgia por endoscopia

 
De acordo com o neurocirurgião do Hospital Nossa Senhora da Conceição, Dr. Marcos Ghizoni, o efeito da sedação na cirurgia por endoscópio é leve, o que o permite que especialistas conversem com o paciente durante o procedimento, garantindo uma segurança maior em relação à questão neurológica. “A maior vantagem é poder oferecer ao paciente um procedimento menos invasivo, mais moderno, com sangramento mínimo e menos dor pós-operatória, o que assegura uma recuperação mais rápida”, explica o Dr. Marcos Ghizoni.

Não há limite de idade ou de condição física para ser operado por esse método, diferente da cirurgia de coluna tradicional, que demanda anestesia geral, o que faz com que muitos pacientes com outras doenças não possam ser tratados. “A técnica endoscópica pode diminuir significativamente a agressão aos tecidos da coluna, e não há deslocamento da musculatura. Por isso, o procedimento pode ser realizado para descompressões medulares em todas as regiões da coluna”, completa o especialista. A equipe do HNSC para cirurgias de coluna conta, ainda, com os neurocirurgiões Michel Linne e Thiago Jung.