Mel Bombeira é uma cadelinha que, além de heroína, agora é influencer digital. Em um perfil no Instagram seu tutor, o soldado bombeiro Fernando Almeida, 28 anos, e a mulher, a cientista de alimentos Bruna Sumenssi Xavier, 24, publicam registros do cotidiano de treinamentos e salvamentos.

Segundo Almeida, não é comum um cão de resgate do Corpo de Bombeiros Militar ter conta nas redes sociais, mas a repercussão sinaliza que há curiosidade e encantamento no universo da doce guerreira.

“Não é habitual, mas em Santa Catarina, por exemplo, já tem. E por aqui, a ideia surgiu para mostrar à comunidade que a Mel existe, um cão de resgate, que tem dois prêmios nacionais, duas certificações e que trabalhou 30 dias em Brumadinho”.

O perfil foi criado em março deste ano e, sem impulsionamento de publicações, Mel já conquistou 1500 seguidores apaixonados pelo trabalho dela.

A cadela labradora é a única treinada para resgate do Comando Reginal II – Rondonópolis (220 km de Cuiabá), mas mora em Jaciara (150 km da Capital), na casa do tutor.

Um presente certeiro

Mel foi enviada para Jaciara como uma doação ao Corpo de Bombeiros quando tinha apenas 4 meses. O soldado Almeida ficou responsável por ela e a levou para casa, onde é considerada membro da família. Ela foi o primeiro cão do bombeiro, que está há cinco anos na corporação.

Aos 4 anos, Mel é “operante”, ou seja, certificada pela Liga Nacional de Bombeiros (LIGABOM). “Mel é certificada para busca urbana e rural e, para isso, foi submetida a uma prova onde ela e o tutor foram avaliados na busca, obediência e destreza”.

Agora, diariamente ela passa por treinos físicos, como corrida, retriever com bola e natação. Além disso, uma ou duas vezes por semana ela faz o treino de busca, tanto de vítima viva, como de cadáver.