#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher realizando o procedimento de captação em outra pessoa. Ela está de luvas e máscara. Em um balcão há uma mochila
#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher realizando o procedimento de captação em outra pessoa. Ela está de luvas e máscara. Em um balcão há uma mochila

Um dos efeitos paralelos da pandemia da Covid-19 foi a redução do número de doadores de sangue na região, no Estado e no país, uma vez que menos pessoas estão deixando as suas residências. Em Santa Catarina, conforme o coordenador do setor de capacitação, em Florianópolis, Silvio Batistella, os estoques mais reduzidos são dos sangues A+, A-, O+ e O-, aqueles que são os mais comuns entre a população. “Há uma maior demanda por eles. O estoque de sangue O- é o que está em nível mais baixo, em situação de alerta”, enfatiza.

Ele conta que desde março os números nas doenças reduziram significativamente, porém nesta semana que sucedeu as festividades de Ano Novo, as doações diminuíram muito. “Quando teve início à pandemia já ocorreu uma redução, a média diária teve um decréscimo e precisávamos atender as pessoas com agendamento. Nas semanas anterior e posterior ao Natal os resultados foram satisfatórios, no entanto, nesta os estoques estão baixos”, lamenta.

Para doar, o candidato tem que ter entre 16 e 69 anos de idade – menores de 18 anos precisam do consentimento formal dos responsáveis. O voluntário deve pesar mais que 50 kg e apresentar-se munido de documento oficial com foto. Pessoas com febre, gripe ou resfriado, diarreia recente, grávidas e mulheres no pós-parto não podem doar temporariamente.

O procedimento para doação de sangue é simples, rápido e totalmente seguro. Não há riscos para o doador, porque nenhum material usado na coleta do sangue é reutilizado, o que elimina qualquer possibilidade de contaminação. Cada voluntário pode doar sangue até quatro vezes ao ano, no caso de homens, e três vezes caso se trate de uma mulher, com intervalos mínimos de, respectivamente, dois e três meses.

Pessoas que contraíram covid-19 podem doar sangue, se respeitarem um período mínimo após a melhora completa de sintomas. Para que estejam habilitadas a doar, é necessário que aguardem 30 dias depois que todos os indicativos da doença tenham desaparecido.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul