Florianópolis

Depois da greve dos bancos, do estado nos Correios e na categoria dos professores, os grevistas da vez são os trabalhadores das Centrais Elétricas de Santa Catarina, a Celesc, uma das cinco maiores do estado.

O indicativo saiu durante uma paralisação no início da tarde de ontem, em comunicado no site do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica de Florianópolis (Sinergia). A greve é por tempo indeterminado.

Segundo o Sinergia, os trabalhadores querem reajuste pelo ICV Dieese, mais 2,61% de reposição salarial. A empresa concede apenas 4,28% e quer retirada de direitos para os novos trabalhadores.

A partir de hoje, os pontos de atendimento devem estar fechados ou parcialmente fechados. Em nota oficial, a Celesc orientou seus clientes a utilizarem os canais alternativos de atendimento, como o telefone 0800 48 0120. No site www.celesc.com.br também é possível ter acesso a diversos serviços on line.

Em recente publicação dos seus resultados, a empresa anunciou uma receita operacional líquida de R$ 6,4 bilhões na comparação entre 2015 e 2014, em um crescimento de 9,1%.