Zahyra Mattar
Tubarão

Nesta sexta-feira, segundo dia de paralisação dos trabalhadores em bancos de Tubarão e região, novamente a maioria das agências da Amurel amanheceu fechada. Na base territorial do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região, mais de 500 funcionários estão em greve. Todos os bancos, com exceção do Bradesco, estão parados.

Na base de Laguna, outros 80 bancários, todos da rede pública, estão de braços cruzados desde a primeira hora de quinta-feira. Em Laguna, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Besc paralisaram. Em Imbituba, somente os funcionários da Caixa aderiram ao movimento. Em Imaruí, a única agência da cidade, do Besc, não fechou.

De qualquer forma, o movimento é considerado crescente e forte em toda a região de abrangência dos dois sindicatos. “Nunca conseguimos uma greve tão forte na região como este ano. Especial pela adesão quase que total da rede privada. Há 18 anos, a participação deles não era tão ativa como agora”, comemora o presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região, Armando Machado Filho.

Nesta segunda-feira, uma assembléia será feita em Tubarão, às 9 horas, para discutir uma possível nova proposta dos bancos. A expectativa é que as rodadas de negociações sejam retomadas durante o fim de semana. Os caixas eletrônicos continuam em funcionamento normal, inclusive sábado e domingo, como ocorre desde quinta-feira.

As negociações com os bancos cessaram há mais de uma semana, motivo pelo qual a paralisação ocorreu, justificam os trabalhadores. A categoria reivindica 16% de aumento salarial, maior participação nos lucros, revisão do plano de carreiras e salários, entre outras pautas que contemplam cláusulas sociais, sindicais e de saúde.