Em uma convertedora de Tubarão, por semana, aproximadamente dez carros passam para GNV.
Em uma convertedora de Tubarão, por semana, aproximadamente dez carros passam para GNV.

Andréa Raupp Alves
Tubarão

Com o aumento do preço do álcool combustível, os empresários do mercado de conversão de carros para o Gás Natural Veicular (GNV) voltaram a sorrir. Nos últimos 15 dias, houve um crescimento significativo na procura pelo setor.
“No fim de dezembro, fazíamos a conversão de quatro carros por semana. Atualmente, esse número pulou para dez. Temos fila de espera de até quatro dias para a conversão”, comemora o empresário do ramo Marcos Trajano, de Tubarão. De acordo com ele, a procura maior é dos donos de carros flex, que deixaram de ser atrativos para os motoristas.

O álcool custa em média R$ 2,15, a gasolina R$ 2,65, enquanto o GNV está R$ 1,59 nos postos de combustíveis da região. Esta diferença de preço chamou a atenção do administrador Fábio Westrup para a conversão. Conforme ele, o seu gasto médio semanal com GNV é de R$ 70,00. Se fosse gasolina, seria R$ 120,00. “Coloquei gás em 2008 e a diferença eu senti no primeiro mês, pois circulo muito com meu carro”, explica.

O preço da conversão para GNV, com um cilindro de 15 metros cúbicos, sai, em média, R$ 2,5 mil. “É vantajoso, pois o motorista senti diferença no abastecimento”, afirma Marcos.