A Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina (ARESC) anunciou na quinta-feira (21) no Diário Oficial, a autorização para aplicação de reajustes nas tarifas para os consumidores de gás natural em Santa Catarina, por meio da resolução nº 106/18.

A decisão determina os reajustes estimados em valores médios para cada segmento a partir de primeiro de julho conforme a seguir: industrial com 26%, comercial com 15%, residencial com 11% e veicular com 27% de aumento.

Além disso, também foi publicada hoje a resolução nº 107, que reajusta a margem bruta que compõe as tarifas, com aplicação a partir de primeiro de agosto. Os efeitos estimados serão de: industrial com 0,9%, , comercial com 2%, residencial com 2,5% e veícular com 0,8% de reajuste.

Os reajustes

A tarifa de gás natural é atualizada no mínimo semestralmente pelo regulador por meio da conta gráfica, ferramenta criada no último mês de 2016. O mecanismo acompanha as movimentações do dólar e do custo do gás – valor pago pela SCGÁS ao seu supridor -, que varia de acordo com o preço de uma cesta de óleos internacionais, entre os quais o principal é o petróleo.

O objetivo da conta gráfica é garantir que o custo do gás pago pela concessionária seja repassado integralmente à tarifa. Foi com este mecanismo que a tarifa do gás natural foi atualizada cinco vezes pela ARESC desde janeiro de 2017.

A gerência de planejamento da SCGÁS analisará os efeitos das resoluções nas tarifas, em todos os segmentos e faixas de consumo, e divulgará as novas tabelas de preço oportunamente.

Mesmo com a atualização, a SCGÁS segue praticando a menor tarifa de gás natural do país e mantém forte competitividade frente aos demais energéticos concorrentes.