Celeste Ayala, a policial que amamentou um bebê faminto, separado da mãe por ordem judicial ganhou uma promoção.

O gesto registrado e compartilhado nas redes sociais acabou chamando atenção das autoridades argentinas.

Como resultado de seu ato altruísta, Ayala foi promovida de oficial para sargento.

Cristian Ritondo, o ministro da segurança da província de Buenos Aires, anunciou a promoção no Twitter.

“Queríamos agradecê-la pessoalmente por esse gesto de amor espontâneo que conseguiu acalmar o choro do bebê”, escreveu Ritondo . “Esse é o tipo de polícia da qual nos orgulhamos, a polícia que queremos.”

A policial do Comando de Patrulhas de Berisso, que recentemente deu à luz, pediu permissão para os médicos do Hospital Infantil Sor Maria Ludovica de La Plata para amamentar o bebê que chorava muito.

O colega de Ayala, Marcos Heredia, tirou uma foto do ato de bondade e postou no Facebook que acabou sendo compartilhado milhares de vezes.

“Eu quero publicar este grande gesto de amor que você teve hoje (terça-feira, dia 14) com aquele bebezinho, que sem conhecê-lo, não hesitou por um momento e realizou o ato como se você fosse sua mãe, não te importou a sujeira e o cheiro como os senhores profissionais do hospital expressavam. Coisas assim não são vistas todos os dias”, diz a publicação.

Ayala disse que não pensou duas vezes em ajudar o bebê

“Percebi que ele estava com fome, enquanto colocava a mão na boca dele, então pedi para abraçá-lo e amamentá-lo”, disse Ayala. “Foi um momento triste, despedaçou minha alma vê-lo assim. A sociedade deve ser sensível às questões que afetam as crianças. Isso não pode continuar acontecendo”.

O corpo de bombeiros local, onde Ayala é voluntária em seu tempo livre, também prestou homenagem a ela no Facebook.

“Queremos parabenizar a cadete voluntária de combate a incêndios Celeste Ayala, que ontem em seu trabalho como policial, enquanto ela estava de guarda no hospital, amamentou uma criança que chegou chorando”, escreveu a brigada. “Ações como essas nos enchem de orgulho e nos obrigam a redobrar o esforço, o trabalho e a solidariedade com a nossa comunidade”.