Tatiana Dornelles
Tubarão

Nenhum documento oficial chegou à mesa da gerente regional de educação em Tubarão, Maria de Lourdes Bittencourt, ontem, sobre a exoneração do cargo. Por isso, trabalha normalmente enquanto nada oficial chega do governo do estado.

“Nada veio para mim, o secretário (de estado da educação, Paulo Bauer) é quem tem que exonerar. O pedido da minha saída foi feito pelo deputado Genésio Goulart, junto com outros nomes do partido (PMDB), sem justificativa. Na verdade, querem me tirar com foco no Maurício da Silva (vereador e ex-gerente de educação)”, desabafa.

Ela conta que, durante a inauguração da escola estadual Lino Pessoa, no bairro Monte Castelo, segunda-feira, foi procurada pelo deputado, que a avisou que ela seria exonerada. “Genésio me chamou, durante a solenidade, para dizer que Paulo Bauer ia me tirar. Eu disse que não era o momento de conversar sobre isso”, relata.

Lourdes ainda ressalta que um grande número de diretores, assessores de direção, assessores pedagógicos e funcionários está revoltado devido à sua exoneração. “Temos todo um projeto para este ano, metas a serem cumpridas, estou por dentro de todos os processos das escolas. Não pensaram na educação, mas apenas em questões partidárias. É uma perseguição mesquinha”, dispara.

No que se refere à possível queda de diretores de escolas, Lourdes espera que ninguém seja exonerado. “Queriam tirar os diretores do Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) e do Cedup. Espero que não mexam na equipe que está à frente destas escolas”, ressalta.

A gerente diz que ainda tem muito a falar, mas o fará apenas quando chegar a portaria com a formalização de sua exoneração do cargo. “Isso tudo é um problema interno dentro do próprio partido. Se eu for exonerada, entregarei a chave a quem tomar posse”, reforça. Um abaixo-assinado é organizado entre funcionários da rede estadual para que Lourdes não saia.

Genésio, por sua vez, através do seu assessor, afirma que Lourdes foi promovida a outro cargo. “O documento assinado não foi para prejudicar ninguém”, afirmou, uma vez que o deputado estava em reunião ontem à noite.

Na secretaria de estado
‘Choveram’ ligações, quarta-feira, na secretaria de estado da educação, em Florianópolis, contra a exoneração da gerente Maria de Lourdes Bittencourt. A informação partiu da própria secretaria, através de assessores. Devido a tantas reclamações referentes à saída, o secretário da pasta, Paulo Bauer, emitiu uma nota oficial, também quarta-feira.