Depois de 102 dias internados na UTI neonatal do Hospital Unimed Tubarão, a tão ansiosa alta médica dos gêmeos bivitelinos Lucca e Levi para alívio da mãe Rozana Costa, finalmente foi autorizada. Os meninos deveriam chegar ao mundo no dia 1º de março de 2022. Mas em um ultrassom de rotina realizado na 27ª semanas e três dias (início do sétimo mês de gestação), foi descoberto que Lucca estava em sofrimento fetal com restrição de crescimento intrauterino. “Tive que decidir entre dar chance aos dois ou deixar somente o Levi na barriga”, lembra. Rozana conta que no mesmo dia decidiu de que daria chance aos dois, mesmo que nascessem prematuros extremos.

Natural de Porto Alegre e morando em Criciúma, como não conseguiu vaga na UTI neonatal local, foi encaminhada para o Hospital Unimed Tubarão. Assim, iniciou a jornada de Rozana. No dia 4 de dezembro de 2021, 0h26 nasceu Levi com 700 gramas e 0h28 nasceu Lucca com 620 gramas. “Nasceram pela mão da excelente médica Maria Eugênia Perito e sua equipe, a quem tenho eterna gratidão. Fui muito bem atendida e acolhida por todos, pelas enfermeiras, técnicas, fisioterapeutas, equipe médica, meninas da copa, da limpeza, recepção e lactário que não tenho nem palavras para agradecer. Ficamos na UTI durante pouco mais de três meses”, expõe.

Neste período de internação dos gêmeos bivitelinos na UTI Neonatal do Hospital Unimed, Rozana ficou hospedada na casa de um familiar de Lucas Fraga, pai dos meninos. “Sou também eternamente grata a isso, pois facilitou e permitiu que eu visse os meninos todos os dias a qualquer hora. O acesso à UTI Neonatal é livre”.

Rozana lembra que, por diversas vezes teve que encarar um desânimo diante das várias intercorrências devido à prematuridade extrema. Mas lembra que o desânimo era superado pela equipe técnica da Neonatal que sempre a animava e aconselhava a ter muita fé. Nesta fé inabalável, ela lembra da sua mãe Rosângela que todos os dias esteve ao seu lado, no apoio essencial para superar tudo de forma positiva. “Ser mãe de UTI neonatal não é nada fácil. Mas quando temos uma equipe simpática e querida ao lado, com certeza ajuda a termos esperança. E foi isso que tivemos”, conclui.

Gêmeos bivitelinos

Gêmeos bivitelinos, também denominados irmãos fraternos, são aqueles que se formam pela fertilização de dois óvulos diferentes.

Os bivitelinos se parecem tanto quanto dois irmãos comuns, de gestações diferentes. Eles podem apresentar diferenças no tom de pele, na estrutura física e no cabelo, entre outras características.  Em alguns casos, podem ser muito parecidos, podendo compartilhar cerca de 50% dos genes, mas nunca idênticos.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Socimed Unimed