O Conselho aprovou a universidade para a condução do estudo,  a fim de garantir a idoneidade ao processo. Um dos objetivos do PDZ é considerar o impacto das atividades portuárias sobre a comunidade local  - Foto:Porto de Imbituba/Divulgação/Notisul
O Conselho aprovou a universidade para a condução do estudo, a fim de garantir a idoneidade ao processo. Um dos objetivos do PDZ é considerar o impacto das atividades portuárias sobre a comunidade local - Foto:Porto de Imbituba/Divulgação/Notisul

 

Imbituba
 
O Conselho de Autoridade Portuária (CAP) do Porto de Imbituba está empenhado no projeto do futuro desenvolvimento do empreendimento. O presidente Gilberto Barreto convocou a Unisul, a prefeitura e a comunidade para redobrarem esforços a fim de que, até julho deste ano, as linhas mestras do projeto do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ) sejam apresentadas.
 
A pressa tem motivos: em 16 de dezembro deste ano o porto pode ter novo concessionário e em 1º de janeiro de 2013 Imbituba terá novo prefeito. Além disso, o governo federal modela neste momento as novas concessões de portos no país.
O objetivo é ter um documento com subsídios para apresentar à União as exigências ao futuro concessionário, as propostas ao futuro gestor municipal e os argumentos ao modelo de concessão de portos.
 
Com o PDZ em ação haverá a indução dos interesses do porto para o mundo, como alternativa de rotas; para o Brasil, como alternativa estratégica mais viável ao gargalo do sistema logístico nacional; para Santa Catarina, como opção ao mercado interno e externo; à região sul, como epicentro de desenvolvimento regional integrado; e para Imbituba, como estratégia para a geração de empregos e renda com grande potencialidade de agregação.
 
Meta é integrar o desenvolvimento
A reunião deste mês do Conselho de Autoridade Portuária (CAP) do Porto de Imbituba, teve a apresentação do projeto do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ) do empreendimento, feita pelo pró-reitor de desenvolvimento e inovação institucional da Unisul, Valter Schmitz Neto.
 
A instituição foi contratada pelos arrendatários, prefeitura e administração do porto, para elaborar o projeto integrando os planos de crescimento da cidade, do estado e do país. O administrador do Porto, Jeziel Pamato de Souza, afirma que o PDZ é essencial, pois o crescimento é evidente e são necessárias ações programadas antecipadamente.
 
“Nosso PDZ tem em seu alicerce os melhores profissionais da região. Nossa preocupação como administração é afirmar a responsabilidade com a região sul. Afinal, o Porto de Imbituba é uma oportunidade logística que desponta cada vez mais para o mercado e que precisa ser bem planejado”, define Pamato.
 
O prefeito José Roberto Martins acredita que o tema está relacionado às necessidades do município. “Precisamos discutir a mobilidade urbana e abordar os aspectos de impacto na administração pública, sem deixar de lado os moradores e as possibilidades de expansão”, defende.
 
Para o pró-reitor da Unisul, é preciso garantir as condições de desenvolvimento a partir de uma nova exploração portuária, que mantenha as potencialidades as naturais da região.
 
O PDZ  l  objetivos gerais
• Fornecer um direcionador a ser considerado para o futuro do porto;
• Esclarecer o pensamento e as direções estratégicas a médio e longo prazo para o porto;
• Discutir as potencialidades dos principais mercados e a expectativa de tráfegos marítimos de maior importância;
• Projetar a expansão das instalações a partir das projeções das operações em potencial;
• Mapear as mudanças e a modernização essencial na logística operacional;
• Considerar o impacto das atividades portuárias sobre a comunidade local, o meio ambiente, a economia, o transporte e a infraestrutura de logística regional.