Foto: Reprodução

Para evitar que a Covid-19 continue se espalhando, e a população possa voltar a realizar suas atividades em segurança, a exigência do passaporte vacinal, que é comprovante de recebimento das duas doses da vacina se torna necessária para a entrada em determinados locais, como shows e eventos, além da realização de viagens.

Acontece que, algumas pessoas que ainda se recusam a receber o imunizante vem realizando a falsificação deste comprovante para que tenha livre acesso nesses locais sem precisar estar imunizado. Obviamente, tal ato é considerado crime, e deve ser combatido.

No município, um individuo procurou, nesta sexta-feira (26), uma das salas de vacina da cidade com o intuito de subornar a vacinadora, oferecendo pelo menos R$ 1 mil, para que lhe registrasse no sistema de saúde como vacinado. No mesmo dia, em outro período, o mesmo indivíduo realizou uma ligação para a sala de vacina oferecendo aumentar a oferta, evidenciando que além dele, havia mais quatro pessoas interessadas em realizar o mesmo esquema.

Após o ocorrido foi realizado um Boletim de Ocorrência a fim de registrar a situação e evitar que a mesma aconteça novamente. Todos os funcionários da área da saúde também receberam um alerta para que saibam quais medidas tomar caso essa situação venha a ocorrer também em outras unidades.