#Pracegover Na foto, paisagem coberta de neve
Paisagem branca pela grande e histórica nevada de agosto de 2013 em Cambará do Sul (RS) | Liane Castilhos

A massa de ar polar de mega intensidade esperada para chegar no território brasileiro entre a terça-feira (27) e a quarta (28), será uma das mais fortes a alcançar o Brasil neste século devido a sua grande magnitude, porém não será a pior porque numa média geral das condições previstas (mínimas baixas, máximas baixas, geada e neve) porque não há previsão de supera alguns eventos de frio muito intenso e neve dos últimos 20 anos.

Esta terceira intensa massa de ar polar deste inverno vai alcançar o Sul, o Centro-Oeste e o Sudeste do Brasil com mínimas negativas em estações meteorológicas de ao menos sete estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro (Itatiaia), e São Paulo.

No Sul do Brasil, marcas tão baixas quanto -9ºC a -11ºC são possíveis nas partes mais altas da região neste evento de frio. No Morro da Igreja, em Urupema, a previsão é de que a sensação térmica chegue a -25ºC.

As autoridades brasileiras acompanham a confirmação do fenômeno e divulgam amplamente para que Governos dos Estados e prefeituras que não estão preparados para o frio com esta intensidade montem equipe e estrutura para atender moradores de rua e animais sem lar, além de medidas protetivas na agricultura.

As perdas na agricultura podem chegar a milhões de reais e o frio intenso pode causar a morte de pessoas e animais.

“O frio intenso queima a pele e como não estamos habituados no Brasil é preciso tomar cuidado porque o frio congela a extensão do corpo. A a gente perde sensação do corpo e quando se dá conta gangrenou, muitas pessoas perdem partes do corpo”, comentou o jornalista Gustavo Vitorino no programa “Atualidades” da TV Pampa, no Rio Grande do Sul.

Caso a projeção se confirme, é preciso estar alerta para: 

Congelamento de água nos canos.

Formação de gelo em vários pontos das rodovias em SC do Oeste aos Planaltos durante a madrugada/manhã.

Agricultura: bananicultores, fumicultores (evitar o transplante, se possível), hortas comerciais, plantas ornamentais, frutas tropicais (maracujá entre outras culturas), variedades precoces de frutas de clima temperado terão risco alto de danos intensos por geada e vento gelado (geada negra).

Atenção na piscicultura tropical (elevar o nível do açude, se possível), maquinário agrícola (uso de anticongelante ou locais protegidos do frio intenso) na maior parte de Santa Catarina.

Danos no trigo precoce (em fase reprodutiva).