Amanda Menger
Tubarão

No encerramento do Fórum Catarinense sobre Reforma Política, nesta sexta-feira à noite, foram abordadas cláusula de barreira, fidelidade partidária e as relações entre executivo e legislativo. Os palestrantes foram o deputado federal Edson Bez de Oliveira (PMDB-SC) e o ex-governador do Ceará, Gonzaga Mota (PMDB).

Para o deputado Edinho, a reforma é necessária porque os partidos estão descaracterizados. “As pessoas votam hoje no candidato e não no partido. Isso fragiliza o sistema partidário, porque não há compromisso dos políticos com a ideologia”, avalia. A conseqüência é a pouca participação da população. “O jovem não se sente à vontade em participar e depois não tem o que reclamar”, afirma.

O ex-governador defende a realização das reformas, tanto política quanto tributária, em anos ímpares. “Escrevi um artigo com o título de a ‘Reforma tem que ser ímpar’, porque tem que ser diferente, mudar a estrutura e feita em anos ímpares, porque senão compete com a eleição e, no fim, nunca sai nada”, adverte.

Mota diz ainda que é a reforma precisa respeitar pressupostos básicos, como a democracia e a harmonia entre os três poderes: executivo, legislativo e judiciário. “E ainda garantir a democracia”, afirma.
O deputado Edinho adiantou que Tubarão deverá sediar um evento com a participação do senador Fernando Collor de Mello e com o senador Pedro Simon.