#PraCegoVer Na foto, quatro frascos com larvas
Este mês, focos do Aedes aegypti foram confirmados em Imbituba (15), São Ludgero (8) e agora Gravatal (1). Em Orleans, um caso da doença foi registrado neste março - Foto: Prefeitura de Gravatal | Divulgação

Larvas do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya foram encontradas no bairro Termas, em Gravatal. A confirmação foi feita nesta quinta-feira pelo Departamento de Vigilância em Saúde da Prefeitura. As larvas do Aedes Aegypti estavam dentro de uma armadilha, utilizadas pelas autoridades de saúde para auxiliar na detecção do vetor. Ao todo, Gravatal possui 33 armadilhas instaladas em 11 localidades do município. Na última vistoria, um total de 492 larvas foram coletadas destes locais e uma delas correspondeu ao mosquito transmissor. Com isso, as medidas preventivas serão ampliadas e reforçadas em toda a cidade para evitar que novos focos surjam e o mosquito se prolifere descontroladamente.

”A melhor forma de combater o mosquito da dengue é evitar o acúmulo de água parada. Por isso, reforçamos para a população que é importante realizar limpezas regulares em ambientes domésticos e áreas externas para evitar criadouros”, alerta agente de endemias, André Cardoso Avelino. Na última segunda-feira (21), a vigilância em Saúde de Imbituba confirmou a ocorrência de novos focos do mosquitos Aedes aegypti no município. Agora há 15 pontos de proliferação do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A cidade é uma das consideradas infestadas pelo mosquito. NO Sul catarinense, Araranguá, Sombrio e Passo de Torres também são considerados municípios infestados pelo Aedes aegypti, conforme relatório da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde.

Este mês, São Ludgero, na Amurel, confirmou a ocorrência de oito novos focos do mosquito Aedes aegypti e Orleans, na Amrec, um caso da doença foi notificado. No dia 28 de janeiro, a primeira morte por dengue ocorreu no Estado: um homem de 40 anos, de Criciúma. As autoridades em saúde alertam desde janeiro que existe a possibilidade de que o Estado viva um período de epidemia ou surto da doença. Atualmente, existem 5.714 focos do mosquito em 160 municípios catarinenses. São 119 municípios infestados pelo mosquito Aedes aegypti e mais de 500 casos de dengue nestes três primeiros meses de 2022.

Informações: Prefeitura de Gravatal e Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde
Texto: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul