Zahyra Mattar
Tubarão

A fiscalização dos 180 postos de combustíveis instalados nos municípios de abrangência da regional da Fatma de Tubarão continuam a ser vistoriados por uma equipe de técnicos. A análise de documentação começou a ser feita no ano passado, após a Operação Gaia, deflagrada pela Polícia Civil de Tubarão e o Ministério Público.

Na época, foram encontrados 200 laudos supostamente falsos emitidos por uma empresa de assessoria ambiental de São José, para postos de combustíveis da região, dos quais 22 são de Tubarão. Por conta deste resultado, a Fatma decidiu rever as licenças de todos os estabelecimentos.

E o órgão não está de brincadeira. “Há males que vêm para bem. Nosso objetivo não é punir ninguém, mas deixar tudo adequado em relação às leis ambientais. A prioridade continua ser a solução para os postos apontados na Operação Gaia, mas todos serão vistoriados. O que vale para um vale todos”, resume o gerente regional da Fatma em Tubarão, Rui Bonelli Bitencourt.

O gerente revela ainda que existem postos na iminência de serem interditados na região, inclusive em Tubarão. “Não agimos com rigor. Apenas cumprimos a legislação ambiental. Se tem alguém que acha que este assunto vai cair no esquecimento, está errado. Não estamos de brincadeira. Todos os estabelecimentos serão vistoriados e terão que se enquadrar à legislação ambiental. E quem não cumprir sofrerá as sanções da lei”, avisa Rui.

Atualmente, estão interditados três postos em Imbituba e um em Paulo Lopes. Dos estabelecimentos que tinham licença ambiental da empresa de São José, 16 já tiveram a nova licença ambiental porque cumpriram todas as exigências previstas na legislação catarinense.