Liliane Dias
Braço do Norte

Após a morte da mãe adotiva, há oito anos, Evalise Miranda Stapassol iniciou uma busca incessante para encontrar a mãe biológica. E a história da braçonortense de 32 anos felizmente teve um final feliz, quando ela encontrou Ivanilde do Carmo Ferreira.

Evalise sempre teve a curiosidade de conhecer quem a carregou no ventre, mas não possuía uma pista sequer e não acreditava que fosse possível encontrá-la. Até que a sua mãe adotiva faleceu. “Quando a minha mãe faleceu, minha madrinha (e cunhada) me falou que havia conseguido há algum tempo o nome completo da minha mãe biológica com uma enfermeira no hospital onde eu nasci. Mas que nunca tinha falado nada por causa de minha mãe, que poderia ficar chateada. Quando peguei o nome dela foi que despertou em mim a vontade de encontrá-la”, detalha.

Depois da primeira informação, cinco cartas foram enviadas para um programa de TV do SBT, mas Evalise não obteve respostas. Através da irmã, que sempre a incentivou, descobriu outros dados da mãe, e há pouco tempo, através de um advogado, finalmente conseguiu contato.

“O advogado da minha irmã buscou a carteira de trabalho de minha mãe. A partir daí, conseguiu o endereço, o local de trabalho e um número de celular. Em um primeiro momento, eu não tive coragem de ligar e novamente minha irmã me ajudou”, lembra.
Porém, a ‘missão’ não era tão fácil assim. Evalise não conseguiu localizá-la pelo número de telefone que tinha em mãos. Mesmo assim, não desanimou. Através de duas amigas, teve acesso ao novo número da mãe, com a ajuda da CDL de Braço do Norte.

“Eu finalmente conversei com a minha mãe por telefone e combinamos de nos encontrar. Ela veio até Tubarão no sábado à noite e nós fomos buscá-la. No domingo à noite, ela retornou para Itajaí (cidade onde reside). Mas foi maravilhoso”, acrescenta.