Florianópolis

Foram milhares de contribuições, orações e energias positivas para a jovem Cíntia Eliseu Oriques. E no fim, deu tudo certo. A adolescente de Pescaria Brava realizou nesta segunda-feira (29), no Hospital Infantil de Florianópolis, a cirurgia para corrigir uma escoliose em grau avançado.

A cirurgia foi realizada às 7h30, e contou com os trabalhos de mais de dez profissionais. Mais de 12 horas depois, às 20h, Cíntia foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) onde permanece em recuperação.

A mãe de Cíntia, Liliane Eliseu, adiantou as boas notícias no Facebook. “Pessoal, obrigado pelas correntes de oração. Os médicos não passaram ainda pra conversar comigo, mas a princípio, minha princesa Cíntia está bem. Ainda está sedada, está na UTI… CINTIA É UM MILAGRE… Preciso que continuem as orações, pois dói muito a recuperação. #todosporcintia”, escreveu na rede social.

O caso

Em fevereiro deste ano, Liliane procurou o Notisul pedindo ajuda porque estava há quase um ano aguardando na fila do SUS para fazer a cirurgia no Hospital Infantil e não tinha resposta.

A redação procurou o hospital e descobriu que Cíntia sequer estava na lista de espera e eles não sabiam dizer por qual motivo. Desde então o Secretário de Saúde de Pescaria Brava, Henrique Souza, o Notisul e inúmeros voluntários abraçaram a causa na tentativa de achar uma solução para a adolescente. 

No dia seguinte à reportagem Liliane foi chamada no hospital, onde foi marcada uma consulta no consultório do Dr. André e que a cirurgia custaria R$ 103 mil. A mãe mobilizou amigos, imprensa e apoiadores para levantar o montante.

A campanha durou o último dia 15, quando Liliane recebeu a notícia de que havia uma data agendada para a cirurgia e que seria feita pelo SUS. O procedimento estava marcado para o fim de maio, mas na semana passada, foi adiantado para o dia 29 deste mês.

Além disso, Cíntia é, desde a infância, portadora da Síndrome de Landau-Kleffner (SLK), uma forma rara de epilepsia infantil que resulta em sérios transtornos de linguagem, capacidade de cognição, inabilidade para entender as palavras e comportamentos autistas.