#Pracegover Foto: na imagem há três jovens
#Pracegover Foto: na imagem há três jovens

O filme levou todos os prêmios no Cannes World Film Festival. Albertina, uma produção popular comunitária, filmado em Imaruí, venceu nas categorias melhor filme biográfico, baseado na obra literária do sr. Albi Israel da Silveira; melhor direção, Luiz Fernando F. Machado; melhor cinematografia, Marx Vamerlatti; melhor atriz estreante, Jhulieny Espíndola e melhor atriz Infantil, Suieny Espíndola.

O filme acabou de levar cinco prêmios no Festival WICA Los Angeles_ World Independent Cinema Awards L.A, EUA: melhor longa-metragem do festival, melhor montagem de longa-metragem, Luiz Fernando F. Machado, melhor fotografia de filme longa estrangeiro, Marx Vamerlatti, melhor roteiro longa-metragem estrangeiro, Chico Caprário e melhores atrizes longa estrangeiro, as irmãs Suieny e Jhulieny Espíndola, que nunca haviam atuado.

“Temos muito a comemorar. Este é um filme feito sem capital, a partir de uma estratégia de colaboração e integração popular e que está concorrendo com filmes comerciais de alto custo e mesmo assim está levando diversos prêmios”, diz o diretor do filme, Luiz Fernando F. Machado. Ele lembra que em Cannes o filme concorreu na categoria de melhor cinematografia, ao lado do filme Sarogeto, protagonizado por Eric Roberts (irmão da Júlia Roberts). “É um feito enorme, imagina, e tudo sem recursos. Um filme com pessoas que nunca atuaram. Temos as duas meninas que conheciam o cinema só pela tela, levando prêmios de melhores atrizes”, comemora Fernando.

Para quem quiser assistir, o filme pode ser adquirido em https://pag.ae/7WWVSj8g3.

Seleções e Prêmios do filme Albertina

#amlatino Film Festival – outubro de 2021

Festival De Cinema De Jaraguá Do Sul – Sc – Brasil 2021 – setembro de 2021

Picknic Film Festival – Agosto de 2021

Cannes World Film Festival – Julho de 2021

Great Lakes Christian Film Festival – Julho de 2021

World Independent Cinema Los Angeles -PRÊMIO MELHOR LONGA, Roteiro, Cinematografia, Atrizes e Montagem – Julho de 2021

Bct – Festival Nazionale Del Cinema E Della Televisione Di Benevento – Julho de 2021

Islantilla Cinefórum – Julho de 2021

Ascendance International Film Festival(aiff) – Maio de 2021

Moviescreenpro Film Festival – PRÊMIO MELHOR LONGA – Maio de 2021

Festival Internacional De Cine Fenavid – Outubro de 2020

Great Lakes International Film Festival – outubro de 2021

Albertina

O filme é resultado do Curso de Cinema Popular, com base na Estética da Sopa de Pedra, realizado gratuitamente em Imaruí, com o objetivo de capacitar pessoas para participar do longa sobre a beata Albertina Berkenbrock. Participaram do curso crianças e adolescentes no contraturno escolar e adultos no período noturno. Foram ministradas aulas de Som no cinema, Cinematografia, Arte e casting e Produção no cinema. Ao todo em torno de 3.000 pessoas da comunidade participaram do longa-metragem. O curso foi realizado entre novembro de 2019 e fevereiro, sendo que as filmagens levaram um mês e terminaram antes da pandemia. A montagem foi feita na Bolívia.

Além do reconhecimento nos festivais o filme recebeu Moção de Aplauso na Alesc e na Câmara Municipal de Tubarão. O diretor Fernando ganhou uma Moção de Aplauso na Câmara de Vereadores de Urussanga, sua terra natal.

Números do Albertina:

1 – Recorde de Integração Popular:

Foram mais de 3.000 pessoas envolvidas diretamente na produção do Filme;

2 – Recorde em democratização nos processos de construção da sétima arte:

Cerca de 700 pessoas participaram dos processos pedagógicos da “Estética da Sopa de Pedra” aplicados pela produtora Boanova Films na fase de preparação e execução do Curso Popular de Cinema;

3 – Recorde de distribuição:

Foram mais 1.500 tickets vendidos para 1.500 lares do mundo em 48 horas. A primeira edição de produção dos DVDs somam 5.000 unidades e o filme já irá ser licenciado para canais de televisão abertos e fechados e plataformas VOD.

Estética da Sopa de Pedra

A Cia Boanova Films é uma escola de cinema itinerante que trabalha com a Estética da Sopa de Pedra.

Com a mesma estética já foram realizados outros trabalhos como o longa Zaratustra, realizado na Colônia Penal Agrícola de Palhoça. O filme foi feito pelos presos, em 10 horas de gravações corridas e dirigido por Fernando. Com ele foram três prêmios internacionais de melhor filme e menções honrosas na Europa e EUA.

O projeto Vida Sonora, aconteceu em 2018, através do Edital Cultura de Redes MinC, numa parceria com a CUFA Laguna. Foram capacitadas cerca de 400 crianças em seis cidades: Laguna, Criciúma, Palhoça, Florianópolis, Blumenau, Terra Indígena Morro dos Cavalos. O clipe indígena foi premiado como melhor videoclipe do FAM em 2019.

“Agora tivemos o curso do Albertina, maior, aperfeiçoado, resultado de uma ação pedagógica que já vinha sendo desenvolvida com a estética Sopa de Pedra em Santa Catarina pela Boanova”, comemora Fernando. Mas a Estética da Sopa de Pedra já atravessou fronteiras. Um trabalho experimental foi desenvolvido também na cidade de Córdoba, Argentina, com meninas encarceradas do Centro de Detenção de Menores de Córdoba.

Desde 2015 a Cia desenvolve trabalhos de integração popular. Agora a Boanova está alinhando novos projetos de escola de cinema que vão gerar produções locais a partir de atividades de educação artística e cinema para o sul do estado para serem executados em 2022.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Boanova Filmes