Com a reabertura da Casa de Anita à população na última sexta-feira, o Museu Histórico Anita Garibaldi está fechado para visitantes. Funcionários da Fundação Lagunense de Cultura (FLC) estão trabalhando na organização do acervo, que será guardado, pois o local passará por reforma estrutural.

A expectativa da fundação é de que o museu seja reaberto até a Primavera dos Museus de 2020, evento anual promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que ocorre geralmente no início da primavera, em setembro. “Toda vez que uma instituição cultural passa por obras ou revitalizações precisamos fechar para fazer esse trâmite de trabalho interno. O Museu Histórico Anita Garibaldi precisa de uma manutenção na sua edificação. O restauro é mais recente, mas precisamos fazer manutenção no telhado, nas portas e janelas, reboco, piso, enfim, uma série de questão para fazer com que a casa dure muitos anos a mais”, explica a presidente da FLC, Mirella Honorato.

À exemplo da Casa de Anita, que deixou de ser um relicário histórico para se tornar um espaço dedicado à heroína, o museu Anita Garibaldi deverá sofrer alteração na exposição museográfica. Para a guia de turismo e presidente da associação, Tatiana Iarrocheski Haubrich,  que representa os profissionais no ramo na cidade, a edificação é parte de um roteiro turístico um tanto quanto obrigatório para quem visita Laguna. “Hoje como museu conta a história em geral da nossa cidade, desde os sambaquieiros, passando pelo império, tempo dos escravos… São histórias que retratam o município como era antigamente. É um museu de grande importância para nós”, avalia.

O acervo do local é composto por itens que contam a história e a vida social da Cidade Juliana, passando de utensílios domésticos de diversas épocas, indo até à gaita e os discos gravados pelo artista imaruiense Pedro Raymundo, que morou na década de 1920 na cidade e gravou Saudades de Laguna.