Zahyra Mattar
Laguna

O esgoto que escorre no meio da Prainha do Farol de Santa Marta, em Laguna, é o principal – e provavelmente único – motivo para o local ser o único da costa catarinense a estar impróprio para o banho desde o início da análise de balneabilidade semanal, feita pela Fatma, na última semana de novembro. A temporada começou oficialmente em dezembro e, desde então, o ponto não voltou a ficar em condições de uso pelos banhistas.

Ainda que a Fatma alerte para o perigo de entrar em contato com a água contaminada pelo esgoto doméstico, a Prainha é utilizada por muitos turistas desavisados. Não há sinalização de que aquele é um ponto impróprio ao banho, como ocorre em diversos outros balneários do estado. Na primeira semana deste mês, uma equipe da Vigilância Sanitária de Laguna esteve no Farol a fim de combater o despejo de esgoto diretamente na praia. Seis estabelecimentos foram autuados e deverão responder a um processo administrativo.

Até a última semana, a Prainha do Farol, a praia de Garopaba e a Lagoa de Cabeçudas, em Laguna, estavam com problemas por conta do esgoto. Agora, neste sétimo relatório da Fatma, somente a Lagoa de Cabeçudas conseguiu reverter a situação.