Florianópolis

A família de Eloah da Silva, há alguns dias também iniciou uma campanha para conseguir um respirador artificial para a bebê, de apenas 4 meses. Ela está internada no Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, há mais de um mês e só poderá receber alta nos próximos dias, se na residência tivesse o aparelho.

Diversas campanhas foram realizadas em Tubarão cidade natal da menina e dos país, em Capivari de Baixo e em diversos municípios da região. “Temos muitos anjos colaborando conosco. Estamos morando no hospital há mais de um mês. O que queríamos é tirar a nossa filha da casa de saúde antes do Natal para ela ficar no cantinho dela e livre de possíveis infecções hospitalares, que podem agravar o seu quadro de saúde”, conta a mãe Pamella Lemos.

Ela expõe que são várias frentes de campanhas para adquirir o respirador e que nesta sexta-feira teve uma surpresa. “Converso muito com a Alessandra, a mãe da Lívia, que também foi diagnosticada com a doença.  E nesta quinta, conversamos sobre o respirador, valores e benefícios. Hoje (sexta-feira), o meu esposo, Ramon e eu assistindo uma live do Leomir Locks, o Alemão, ele falou que ajudaria com um montante para adquirir o aparelho e com isso há a possibilidade da Eloah, ir o quanto antes para casa”, comemora.

Pamella destaca que o aparelho já está disponível desde o início da tarde para a menina e que a princípio serão 90 dias de aluguel. Ela conta que além do respirador serão necessários mais investimentos para a evolução da menina. “A minha filha precisa de acompanhamento com nutricionista, fonoaudióloga, com um neurocirurgião e deve fazer fisioterapia motora e respiratória. Nada disso é pago pelo Sistema único de Saúde, além disso precisará tomar doses de ‘Spinraza’ “, enfatiza.