Uma campanha nas redes sociais tem mobilizado os internautas em prol da menina Jhuly Eduardo Corrêa, de 1 ano e seis meses. A bebê, que foi diagnosticada com hidrossiringomielia, além de manchas hipocrômicas em pele, cistos renais, desnutrição, alergia a proteína do leite, possuir tumores e ter crises de epilepsia, precisa ser submetida a duas cirurgias.

O drama de Jhully, que mora em Morro da Fumaça com a família, aumenta a cada dia. A mãe da menina, Kalita Eduardo Corrêa, afirma que o caso demanda de cirurgia urgente. “Os procedimentos que a minha filha precisa fazer são de Gastrectomia e o de refluxo Gastresofágico. Precisamos de R$ 95 mil, mas não temos esse dinheiro. Necessitamos de socorro para arrecadarmos esse dinheiro o mais rápido possível para fazer os dois procedimentos. As cirurgias devem ser feitas no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão”, explica.

No terceiro dia de vida, a pequena precisou passar por uma cirurgia. O procedimento foi para tirar um tumor no intestino. No hospital, a criança ficou 15 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A bebê passa por tratamentos com 12 médicos, devido as inúmeras complicações de saúde. Alguns tratamentos e consultas são pelo Sistema Único de Saúde e outros são particulares. A mãe da menina é dona de casa, já o pai é autônomo.

Os tratamentos são realizados na Cidade Azul e em Florianópolis. Jhully faz uso de sonda nasoenteral em bomba de infusão de uso contínuo e também toma medicações necessárias para o seu tratamento. Todos os meses são investidos R$ 640 em fisioterapias; R$ 972 por 30 mangueiras, para bomba de infusão, elas são descartáveis e devem ser trocadas todos os dias; além de 30 frascos para uso de fórmula. Os frascos custam R$62. A família também precisa comprar medicamentos como morfina, combiron, vitaminas D, Propranolol (manipulado), PEG 4000 (sachês manipulados), Label, além das consultas.

Familiares e amigos da mãe da criança criaram um link http://vaka.me/1028190 para doações, no vakinha online. As doações também podem ser feitas por meio de contato telefônico com a mãe da menina. Kalita, (48) 99922-3185 e (48) 99142-9515.