A família de José Henrique Luiz, 4 anos, de Capivari de Baixo, diagnosticado com má formação ocular, realiza uma campanha para arrecadar recursos para ajudar no tratamento da criança em uma clínica, em Joinville. A mãe Luciana da Silva Luiz conta que quando o menino tinha pouco mais de 1 ano, ele passou por uma consulta pelo oftalmologista.

De acordo com a genitora, a criança passou pelo médico dos olhos por ser considerado vesgo. “O oftalmologista pediu um ultrassom, porque ele disse que tinha algo de errado. No exame foi mostrado que a visão dele não tinha se formado em um todo. Em Tubarão, o profissional que nos atendeu afirmou que não haveria tratamento e até os dois anos, o meu filho perderia a visão. Começamos a pesquisar clinicas e encontramos uma em Joinville, e lá estamos fazendo o possível para ele se manter enxergando”, expõe.

O menino passa por avaliações médicas na Cidade das Flores há cada seis meses. Segundo a mãe, todo cuidado é pouco e qualquer inflamação nos olhos, ele pode perder a visão e há a possibilidade de descolar a retina. “Não há cirurgia, apenas tratamento. Há aproximadamente um ano descobrimos que ele tem má formação na bacia e desvio na coluna. Estamos investigando, a médica comentou que ele pode ser portador de uma síndrome. Foi repassado um exame, mas como o custo para a sua realização é alo não temos como fazer. Por ano, o governo libera somente 15 exames e não fomos contemplados”, lamenta.

José Henrique realiza fisioterapia na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). Ele também é diagnosticado com bronquite e com problemas auditivos. Luciana expõe que apenas o pai do garoto trabalha e mensalmente recebe uma renda de R$ 1.3 mil. Além do pequeno José Henrique, eles são pais de Arthur de 13 anos.

As consultas e procedimentos realizados a cada seis meses na maior cidade do Estado custam entre R$ 1,2 mil e R$ 1,4 mil. A família não conseguiu obter o tratamento pelo Sistema único de Saúde (SUS). Para coloborar basta acessar o site https://www.vakinha.com.br/vaquinha/o-pequeno-zezinho-precisa-continuar-enxergando. Ou realizar qualquer depósito em conta. Caixa, agência 2362, operação 013, conta poupança 00067192-0, em nome de Nilza Matos Albino, avó de José Henrique.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul