Uma campanha foi iniciada recentemente para ajudar a pequena Hellena Sangaletti a alcançar mais um sonho, o de ter uma bicicleta adaptada, que ajudará na sua evolução motora. A menina é diagnosticada com paralisia cerebral (PC),o  achado clínico mais incapacitante na infância. Atualmente a criança e a mãe residem em Pescaria Brava.

O Notisul já divulgou diversas matérias sobre a menina e tem acompanhado a evolução da criança. A mãe de Helena, Rosinete Sangaletti, conta que nos últimos meses a filha tem apresentado boa evolução motora e sem crises convulsiva. “Iniciamos a campanha para poder adquirir uma bicicleta adaptada para a Hellena. Ela tem se desenvolvido bem na parte motora e a luta é constante”, enfatiza.

Canecas foram produzidas para serem comercializadas com o objetivo da compra da bicicleta. O interessado em ajudar poderá adquirir a caneca por meio do PIX: (48) 999530318 pelo valor de R$36,00. Qualquer valor para doação também é bem-vindo.

A menina tem evoluído muito e agora já consegue andar com a ajuda de um andador adaptado adquirido por meio de campanhas realizadas há alguns meses.  Ela passa por inúmeros tratamentos para a sua evolução, entre eles o de fisioterapia.

O diagnóstico da Paralisia Cerebral  envolve alterações no movimento e postura do corpo secundários a uma lesão do cérebro em desenvolvimento. Pode ocorrer durante a gestação, ao nascimento ou no período neonatal.

Há uma grande variação nas formas como a PC se apresenta, estando diretamente relacionadas à extensão do dano neurológico: lesões mais extensas do cérebro tendem a causar quadros mais graves. Os diferentes graus de comprometimento motor e cognitivo podem levar a um leve acometimento com pequenos déficits neurológicos até a casos graves, com grandes restrições à mobilização e dificuldade de posicionamento e comprometimento cognitivo associado.

As alterações da parte motora incluem, problemas na marcha (como paralisia das pernas), hemiplegia (fraqueza em um dos lados do corpo), alterações do tônus muscular (espasticidade caracterizada por rigidez dos músculos) e distonia (contração involuntária dos membros). Em casos graves, há necessidade do uso de cadeira de rodas. Já as alterações cognitivas incluem problemas na fala, no comportamento, na interação social e no raciocínio. Os pacientes também podem apresentar convulsões.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul