Nilton ainda emociona-se quando fala em política. Ele foi vereador por dois mandatos e nunca faltou com o compromisso de votar  - Foto:Divulgação/Notisul
Nilton ainda emociona-se quando fala em política. Ele foi vereador por dois mandatos e nunca faltou com o compromisso de votar - Foto:Divulgação/Notisul

Grão-Pará

Ele estreou na vida pública em 1973 e foi o terceiro vereador mais votado em Grão-Pará. “Era um tempo mais fácil de fazer política. Naquela época ninguém comprava voto. No início, morávamos no interior, embaixo da serra, e vínhamos a cavalo para votar”, recorda Nilton de Oliveira, 86 anos, sobre a experiência de ser eleitor após dois mandatos de vereador na década de 70, pela antiga Aliança Renovadora Nacional (Arena). 

Nilton procura manter uma vida ativa. Há apenas quatro anos ainda dirigia o caminhão com fretes de materiais de construção. Sobre o voto, mantém a tradição mesmo sabendo que estaria liberado pela justiça eleitoral. “Enquanto puder andar, vou votar. Parece que a natureza puxa a gente. Não entendo, muita gente com 70 anos já não quer mais votar”, argumenta. 

Segundo o aposentado, toda a família sempre pediu conselhos a ele sobre política. São 14 filhos, mais de 20 netos e quatro bisnetos. “Até hoje nunca falharam comigo”, elogia Nilton, que foi votar ao lado da esposa Edith de Piere de Oliveira. 

Elogios às mudanças
Nas ruas do município de 5.789 eleitores, a maioria era só elogios às mudanças nas regras para estas eleições. Este ano, o período eleitoral diminuiu de 90 para 45 dias e proibiu o financiamento de campanha por parte de empresas.
O comentário entre os votantes era sobre o ambiente mais limpo, sem placas e, principalmente, poucos materiais de campanha jogados no chão. No maior colégio eleitoral de Braço do Norte, na Escola Dom Joaquim, meia hora antes do início da votação, já havia formação de filas. Depois do voto, muitas pessoas aproveitaram para ir ao mercado ou viajar. 
Outro dado curioso ocorreu no balneário de Termas do Gravatal, em Gravatal. Na Escola Hercílio Bez houve um movimento maior pela justificativa do voto devido à grande presença da atividade turística.