#Pracegover Foto: na imagem há inumeras pessoas, construções e palmeira
#Pracegover Foto: na imagem há inumeras pessoas, construções e palmeira

Trabalhadores, familiares e amigos estiveram ontem (08), em frente à Câmara de Vereadores de Imbituba pedindo a atenção do prefeito, vereadores, autoridades e lideranças políticas para a importância de se discutir a triste situação a que veem sendo submetidas 120 famílias imbitubenses.

Com faixas e de forma pacífica, os ex-funcionários do Porto de Imbituba aguardam solução para o reconhecimento e pagamento de seus direitos trabalhistas, situação que se arrasta por mais de oito anos.

De acordo com o representante dos trabalhadores, Ricardo Geremias Vieira, o Governo do Estado de Santa Catarina e a diretoria da SC PAR Porto de Imbituba não vem demonstrando interesse em resolver as injustiças causadas, tampouco em chegar a um acordo de forma conciliadora. “Precisamos corrigir essa injustiça com urgência esta situação. É lamentável que o lucro esteja acima da dignidade e do respeito daqueles que construíram a história do Porto de Imbituba”, ressalta.

A manifestação chama a atenção, ainda, para uma condenação emitida pela Justiça do Trabalho que condena a SC PAR por danos morais individuais e coletivos causados pelas demissões. A decisão expedida pela Juíza do Trabalho, dra. Angela Maria Konrath está vigente e foi retirada da pauta de conciliação pelo Porto de Imbituba.

Audiência Pública aprovada

Antes do início da sessão legislativa, os vereadores conversaram com o trabalhadores e demonstraram apoio à causa. Foi votado e aprovado por unanimidade um requerimento do vereador Eduardo Faustina para a realização de uma audiência pública.

Segundo o vereador, a expectativa é que a audiência seja realizada o mais breve possível. “Propomos a realização desta Audiência Pública que visa, por excelência, oportunizar a esses trabalhadores trazerem a público suas manifestações e reinvindicações, assim como ouvir as autoridades e demais atores envolvidos a fim de se buscar uma solução pacífica, urgente e necessária que o caso exige”, destaca Eduardo.

O requerimento sugere que sejam convidados, também, representantes da Procuradoria Geral do Estado de Santa Catarina (PGE); da ANTAQ – Agência Nacional de Transporte Aquaviários, através do seu Posto Avançado no Porto de Imbituba; da SCPar Porto de Imbituba; da SCPar Holding; do Sindicato dos Empregados da Administração do Porto de Imbituba (Seapi); Intersindical dos Sindicatos dos Trabalhadores Portuários Avulsos dos Portos de Imbituba e Laguna; da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Subseção de Imbituba; Prefeitura Municipal de Imbituba e demais órgãos vinculados à pauta.