Afastado da vida pública, o ex-chefe do executivo tubaronense tem rotina reservada ao lado da família.

Willian Reis
Tubarão

Genésio de Souza Goulart hoje se comunica com sorrisos. Enfrentando problema de saúde, o garçom que um dia chegou a deputado estadual mantém uma rotina mais regrada, sem compromissos fora de casa, ao contrário de seu dia a dia nos tempos em que a política dominava sua vida, e acompanhado de perto pelos cuidados da família.

Em 2008, com Genésio em seu segundo mandato na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), os parentes começaram a notar mudanças em seu comportamento. Esquecia alguns compromissos, trocava nomes, cumprimentava a mesma pessoa como se não a tivesse visto poucos minutos antes.

Político 24 horas por dia, com uma agenda que comportava reuniões inadiáveis à presença em formaturas como paraninfo de turma, Genésio resistia a procurar um médico. Enquanto deputado estadual, de 2003 a 2010, por exemplo, nunca faltou a uma sessão, como lembra sua mulher Marlene Nunes Goulart. Todos os dias, às 4 horas ele já estava na estrada a caminho de Florianópolis, de onde só chegava no fim da noite, quando não partia para outro compromissos.

Alimentava-se pouco e dormia menos ainda. Aos fins de semana, ao contrário do que se poderia supor, a rotina era muito mais agitada. Ou seja, Genésio quase não parava. Sua vida era mesmo a política e a atenção dedicada a seus correligionários. No fim de 2009, após uma série de exames e consultas a vários médicos, uma especialista em Curitiba informou à família o que afinal se passava com ele.

Genésio possui demência frontotemporal, uma forma de degeneração que, com o tempo, atinge a frente e as laterais do cérebro. Aos poucos, a doença afeta a capacidade de falar e impede que se reconheça qualquer pessoa. Os seus efeitos são muito parecidos, por exemplo, com o mal de Alzheimer. O que surpreendeu os médicos na época foi ter lhe atingido relativamente novo, em plenas condições físicas, com cerca de 56 anos. Uma das hipóteses é que o estilo de vida agitado, sem pausas, de Genésio, possa ter precipitado o aparecimento da doença.

Foto: Jailson Vieira/Notisul

Publicado às 6 horas desta segunda-feira (03/04/2017)