Tubarão

É sempre importante um curso de graduação ou pós-graduação: mensalidades abaixo do valor de mercado, por exemplo. Desde dezembro de 2017, o Notisul traz matérias onde alunos têm alegado que são vítimas de diplomas falsos. Uma modalidade criminosa que tem ganhado espaço em vários Estados brasileiros.

O Grupo Educacional DMA, segundo os estudantes, era a instituição de ensino que estava por traz de alguns problemas. A unidade era de propriedade da família do vereador da Cidade Azul Douglas Martins Antunes (MDB). Há poucos dias, o grupo emitiu uma nota, onde afirmava que não era uma instituição de ensino superior ou se fez passar por uma. No entanto, obtinha parcerias com instituições credenciadas pelo MEC. O DMA sedia o prédio e professores e outras universidades emitiam os ‘diplomas’, entre elas a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Bilac, de São José dos Campos, em São Paulo.

Nesta semana, ex-alunas do DMA procuraram o Notisul para contar que a instituição até pode ter encerrado as suas atividades, porém os supostos diplomas falsos devem ser expedidos por mais alguns semestres. “Os acadêmicos que pertenciam ao Grupo Educacional foram transferidos a Universidade Brasil. O Douglas vai dizer que não, mas essa universidade também pertence a ele ou a sua família, e as falcatruas permanecerão. Neste sábado, alunas do curso de pedagogia apresentaram o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), mas não entendemos o motivo. Elas sabem que o curso não é verdadeiro.Tentamos avisá-las, no entanto não adiantou”, acusa uma ex-aluna.

Conforme as ex-discentes da entidade, emvirtudade da emissão dos diplomas falsos e do não reconhecimento do curso pelo MEC, elas tiveram que cursar Pedagogia em outra instituição de ensino na região, desta vez credenciada. “Infelizmente, não podemos fazer o aproveitamento de créditos de disciplinas do curso de graduação que fizemos. O nosso alerta para outras colegas foi feito, no entanto, elas não quiseram escutar. No sábado o Douglas e mais dois profissionais de educação assistiram as bancas de TCC dando continuidade a uma mentira. As pessoas não podem ser coniventes com isso”, lamenta.

“Continuarei colaborando até o encerramento total das atividades”, garante Douglas

Questionado pelo Notisul sobre a sua relação com a DMA e a Universidade Brasil, Douglas garantiu que sua relação é como colaborador da instituição. “Com a DMA continuarei colaborando até o encerramento total das atividades. Na condição de professor, participei da banca, como participo de qualquer atividade educacional para qual for convidado”, pontuou.
Perguntado o motivo das acusações de ex-alunos, ex-funcionários e por alguns seus pares de partido, ele destacou que as denúncias surgiram porque muitos não conhecem os verdadeiros fatos. “Talvez me acusam por eu ser político. 

Enfim, o que as pessoas, algumas mal-intencionadas, com intenções ocultas, agem e atacam, não lembram, que antes de político, sou cidadão, cristão, filho e pai, e estamos sofrendo muito com tudo isso. Para os que querem a verdade consultem quem é minha pessoa física, como atuo no mandato de vereador. Mas juntamente com minha assessoria jurídica, aos que propagam inverdades em relação a minha pessoa, as medidas judiciais cabíveis têm sido tomadas e meu único interesse que a verdade seja restabelecida”, assegura.

Sobre o ocorrido em 2017, com os alunos de educação física, que também alegaram ter recebido diplomas falsos, Douglas afirmou que os estudantes foram encaminhados para outra instituição e lá concluíram a graduação. Os alunos que quiseram. As despesas foram por conta da instituição. “Antes de tudo me coloco no lugar desses ex-alunos pelo que estão passando, eles são minha verdadeira preocupação e quem me conhece, sabe que estou 100% do lados deles e ainda na condição de colaborador da DMA, lutando junto com a instituição e o jurídico para que a situação deles possa ser resolvida, e como afirmei em 2017, naquele caso ainda da educação física, será resolvida e pelos meios legais, registra-se. Jamais deixarei de atender e tratar alguém bem”, finaliza.