Tubarão

Empatia e solidariedade. Essas são as palavras que foram pautas de uma ação na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Morrotes, nesta quarta-feira (20). Sete alunos de medicina tiveram a ideia de ajudar dona Antônia Marcelino – uma senhora que não sabe ler, escrever e também não reconhece os números.

Depois de uma visita domiciliar, a equipe reparou que uma senhora, portadora de algumas doenças que necessitam de remédios controlados, não estava tomando a medicação correta e no horário certo. Ela possuía uma cesta, onde colocava os remédios, e ao tomar não sabia ao certo quais eram. “A gente vê que às vezes o grande problema do tratamento é falta de adesão, porque os pacientes não conseguem saber o que é para tomar e se confundem. Assim, podendo trazer problemas”, relata a médica Talita Menegali Izidoro.

Com algumas ideias para ajudar a aposentada a seguir os tratamentos contínuos, os alunos montaram três potes com formas para ela reconhecer os horários pelas figuras. Uma com sol, para os remédios de manhã. Uma com alimentos, para tomar perto das refeições. E um com uma lua, para os medicamentos noturnos. Dentro, também havia pacotes que separavam a quantidade que é necessário tomar. “Dando um apoio, mostrando que eles importam para nós, eles também vão querer se cuidar”, avalia o estudante Leandro de Moraes Garbossa.

A entrega fez os olhos da dona Antônia brilhar. Cheia de emoção ela agradeceu deixando toda a equipe empolgada com o resultado. “Me sinto muito bem, gostei, vai me ajudar muito”, conta a senhora. Todos afirmam que vão implantar o projeto para pacientes nas mesmas situações. Segundo Leandro, “é só o primeiro de muitos”.