Essa iniciativa surgiu devido à uma grande descoberta: Marcos é um escritor nato. O seu talento foi revelado graças ao uso de um celular! Isso porque, antes da inserção da tecnologia na sua vida escolar, o estudante, que possui paralisia cerebral, não conseguia se expressar durante as aulas.

De acordo com a professora de atendimento educacional especializado da escola, Daniela Tamie Konioshi, por conta da paralisia, Marcos tem algumas limitações motoras, o que dificultava seus registros do que era abordado em sala de aula. “Ele tem também essa dificuldade na articulação da fala, algumas palavras, às vezes, são incompreensíveis. Ele sofria para se expressar”, disse.

Certo dia, o estudante apareceu na escola com um celular. O que ninguém imaginava é que, por meio desse pequeno aparelho, se revelaria um Marcos talentoso e apaixonado pelas palavras.

“Ele começou a ter um desenvolvimento melhor. Antes, ele anotava as informações das aulas no caderno, porém, com as suas limitações motoras, não conseguia anotar todo o conteúdo. Hoje, ele usa um editor simples de texto, e além de registrar as aulas, ele consegue transcrever o que quer falar ou está pensando. Foi quando eu  identifiquei o potencial dele na escrita”, explicou a professora.

Avanço na escrita proporcionado pela tecnologia

Marcos começou escrevendo pequenos contos e textos autorais, e sempre muito orgulhoso, mostrava para os professores.

Identificando o seu interesse pela escrita, a professora começou a desenvolver com ele atividades de produção de texto, surgindo a ideia de um blog, o Contos do Marquinhos, que hoje é visitado por pessoas de todo o mundo. Recentemente ele criou o Contos e Poemas, e lá ele também compartilha a sua arte.

“Ele é um menino tão inteligente, que teve um avanço imenso em menos de um ano em relação à escrita. Pois, como no começo ele só usava o celular para comunicar e responder as pessoas, acabava usando muitos atalhos de textos do aparelho, então, na hora que escrevia usando o teclado do computador, cometia alguns erros da norma culta da língua portuguesa. Pude ensiná-lo mais sobre a língua portuguesa e também sobre outros temas.”

E esse interesse aumentou tanto, que hoje o estudante sonha ser escritor.

“Antes o sonho dele era andar, ele queria ficar parecido com as pessoas “normais” para ser aceito. Hoje não, você pergunta qual o sonho dele, e ele responde que quer continuar a estudar, ser escritor… essa descoberta da escrita abriu muitas portas e isso tudo foi proporcionado pela tecnologia”, relatou Daniela.

A solidariedade das pessoas

A professora explicou que nas provas, o aluno precisava de um “escriba”, ou seja, de outra pessoa escrevendo por ele, mas mesmo assim, não era ele. “Foi então que começamos a perceber a importância deste recurso em sala de aula.”

Esse ano, Daniela, juntamente com outros professores, observou que o celular do aluno estava bem velho e que ele precisava de um recurso melhor para se comunicar. Foi então que lançaram uma vaquinha on-line.

“Eu achei que a vaquinha on-line ficaria só entre nós da escola. Mas então, o pessoal foi compartilhando, e conseguimos, inclusive, ultrapassar a meta da vaquinha”, disse.

Além de um tablet, Marcos ganhou uma impressora e outros materiais para auxiliá-lo nos estudos.

“Nós, que somos professores de escola pública, temos a nossa limitação, que é exatamente de recursos e investimentos na educação, principalmente voltada à acessibilidade, mas tivemos que contar realmente com a solidariedade das pessoas.”

A tecnologia ajudou o Marcos a ser ele mesmo! ????

“Imagine você ter essa inteligência, como no caso dele, e não conseguir que as pessoas reconheçam essa capacidade, porque você não consegue se expressar?”

Parabéns aos professores pelo lindo trabalho e a todas as pessoas envolvidas nessa rede de solidariedade em prol do Marcos! Ele vai longe!