São Paulo (SP)

Depois de uma semana nervosa, a confirmação do pacote de cortes tributários do governo norte-americano, que injetará cerca de US$ 150 bilhões na economia, as bolsas de todo o mundo tiveram forte recuperação ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) seguiu a tendência positiva e teve valorização de 5,95%, fechando aos 57.463 pontos.

Com a alta, a Bovespa praticamente reverteu as perdas da semana. O risco-país brasileiro também caiu, registrando 250 pontos no horário de fechamento do mercado. O volume de negócios na véspera do feriado (o mercado paulista fica fechado hoje, feriado do aniversário de São Paulo) ficou em R$ 6,47 bilhões, pouco acima da média diária de 2007.

O presidente americano George W. Bush reafirmou que o pacote de estímulo fiscal “é efetivo e firme”. Segundo Bush, que fez um pronunciamento oficial na tarde de hoje, a economia americana está estruturalmente saudável, mas enfrenta desafios. O valor das reduções tributárias, que corresponde a 1% do PIB americano, será concedido tanto para empresas quanto para pessoas físicas. De acordo com o secretário do tesouro americano, Henry Paulson, a restituição de impostos aos cidadãos começará 60 dias após a aprovação do pacote pelo Congresso.

Além disso, o crescimento da China, que ficou acima de 11% em 2007, também animou o início nos negócios. Seguindo o fluxo positivo, os pedidos de seguro-desemprego nos EUA ficaram em 301 mil, bem abaixo das previsões dos analistas (320 mil).