As pastagens secas prejudicam a alimentação do gado.
As pastagens secas prejudicam a alimentação do gado.

Karen Novochadlo
Tubarão

Desde 1979, Tubarão não tem um novembro tão seco como o último. Choveu apenas 26 milímetros, contra os habituais 101,3.Ou seja, apenas 25,6% da média. Caso a situação não melhore, já são previstos prejuízos na agricultura e pecuária da região.

O climatologista Rafael Marques alerta que a temperatura e a umidade relativa do ar também ficaram abaixo da média em todo os estado. Um dos motivos para a seca é o fenômeno La Niña, que corresponde ao resfriamento anormal de águas do Oceano Pacífico.
De acordo com Rafael, a estiagem deve prolongar-se até meados deste mês. No escritório da Epagri em Tubarão, a informação é que são afetadas as lavouras de fumo, milho, feijão e hortaliças e também a pecuária, já que os pastos são reduzidos.

Por enquanto, não houve prejuízos. Mas a situação pode se inverter se não chover. O secretário de desenvolvimento econômico da prefeitura, Celso Meneghel, explica que o arroz não é afetado devido ao sistema de irrigação.
Um outro problema da seca é a ocorrência de incêndios em terrenos baldios e na mata. Quase todos os dias, o Corpo de Bombeiros tem que atender ocorrências deste tipo.
Quanto ao abastecimento de água, não houve nenhum problema. O nível do Rio Tubarão está bom para a captação. O Águas de Tubarão também tem tomado medidas para limpar o canal e evitar o assoreamento. “Ainda não foi preciso acionar nenhuma bomba submersa”, afirma o superintendente da Agência Reguladora das Águas (AGR), Marcelo Fernandes Matos.