Claudio Cunha  encarna uma espécie de Freud Gaúcho nesta sexta-feira, em Tubarão
Claudio Cunha encarna uma espécie de Freud Gaúcho nesta sexta-feira, em Tubarão

Tubarão

 
Machão convicto, apegado às suas tradições, autêntico, conservador, sem complicação alguma, sincero, mais grosso que rolha de poço. Essas são algumas facetas do “Pai Doto”, caracterização criada pelo cineasta paulistano Claudio Cunha, inspirado no livro O Analista de Bagé, de Luis Fernando Veríssimo.
 
Em um verdadeiro “tratado do humor”, Claudio Cunha encarna uma espécie de “Freud Gaúcho” e coloca o riso no divã. Nesta sexta-feira, mais uma vez o ator toma o palco do Centro de Eventos Santo Anjo, em Tubarão, para arrancar mais do que gargalhadas do público.
 
O espetáculo no estilo stand-up está em cartaz há memoráveis 30 anos. Esta façanha rendeu para Claudio dois recordes no Guinness Book (e o aplauso de mais de dois milhões de espectadores): um pela peça há mais tempo em cartaz e outro pelo ator há mais tempo permanente em um personagem. 
 
Nas folgas com o espetáculo, Claudio está mergulhado em dois grandes projetos. Para o cinema, o remake do filme Amada Amante, seu maior sucesso comercial, e para o teatro a peça O Mundo de Sofia, de Jostein Gaarder. Os projetos estão em fase de captação de recursos.
 
 
Ficha técnica
 
Texto, direção e
interpretação: Claudio Cunha.
Quando: nesta sexta-feira, às 21 horas.
Onde: Centro de Eventos Santo Anjo.
Ingressos: R$ 30,00 (inteira); R$ 20,00 (antecipado); R$ 15,00 (meia).
Censura: 14 anos.
Mais sobre o ator e a peça: www.claudiocunhaproducoes.com.br.