Tubarão

O dia 12 de junho tem um significado próprio no Brasil, desde 1949 é comemorado o Dia dos Namorados nesta data. Em diversas cidades, corações vermelhos são espalhados pelas vitrines das lojas, floriculturas vão à loucura e restaurantes recebem centenas de casais apaixonados.

O que torna esse dia tão especial não é o apelo comercial e as flores, mas sim as histórias que estão por trás de cada casal. Como a dos jovens Alice Reis, 26 anos e Victor Tolentino, 25, que se conheceram em 2009, quando ainda eram estudantes no ensino médio

Alice conta que na época namorava um jovem da sala de Victor e que ambos eram amigos, porém, o relacionamento dela com o garoto terminou. Meses depois, ela e Tolentino iniciaram um relacionamento, mas que chegou ao fim em abril de 2010. “Na época, ele era muito grudento. Terminamos. Quatro anos depois, reencontramo-nos, ele morava em Florianópolis. Conversamos e voltamos a namorar e, hoje, estamos ‘namorandinho’”, brinca Alice.

Se no passado era comum casar em dias ou poucos meses de namoro, atualmente essa situação está mais difícil de ocorrer. No entanto, há 19 anos, o casal Alex e Joice Baricalla levaram entre o namoro e casamento 76 dias. “Na época, a Joice era modelo e tinha convite de ir modelar no Japão e eu estava de mudança para São Paulo. Em poucos dias, decidimos mudar os nossos planos e casar e viver em Tubarão”, conta Alex.

Ele recorda que para iniciar o relacionamento tentou contato com Joice em duas festas. O primeiro encontro não ocorreu como o esperado, mas no segundo houve mais envolvimento. “Sempre disse que ela era bonita para amigos. Em uma festa comentei para um amigo que só iria se ela fosse, o convite foi feito e aceito, mas por algum motivo tive que sair. Já no segundo encontro, enfim nos acertamos e estamos juntos até hoje e do nosso amor temos o Enzo e a Alexia”, soma.

Além de Alice e Victor e também de Alex e Joice, o Notisul traz a história do casal Lucas e Pedro (pseudônimos), que há aproximadamente sete anos iniciaram o seu relacionamento. “O Pedro namorou por alguns anos uma menina de uma cidade da região e depois terminaram. Essa garota iniciou um relacionamento comigo e ficamos juntos por alguns meses e não deu certo. Envolvi-me com outra mulher e também terminamos. Entre idas e vindas da vida acabei ficando amigo do Pedro e uma vez voltávamos de uma balada e ele disse que ficaria comigo. Fiquei com isso na cabeça. No dia seguinte, saímos para uma festa e conversamos sobre o assunto, ficamos, namoramos e casamos”, conta Lucas.